Polícia Ambiental multa carroceiros em R$ 12 mil em Rio Preto, SP

Polícia Ambiental multa carroceiros em R$ 12 mil em Rio Preto, SP

Por Tatiana Pires

SP riopreto maus tratos

Quatro carroceiros foram multados durante operação especial da Polícia Ambiental realizada nesta sexta-feira, dia 22, em São José do Rio Preto. Isto porque, a fiscalização constatou que os cavalos que eles usam para puxar as carroças estão sendo vítimas de maus-tratos. Juntos, eles terão de pagar multas no valor de R$ 12 mil.

A ação da Polícia Ambiental concentrou-se em bairros das zonas norte e leste da cidade, como Santo Antônio, Jardim Gabriela, Aroeira, Soraya e Vila Toninho. A investida recebeu o nome de “Operação Centauro”, em alusão ao personagem da mitologia grega que é metade homem e metade cavalo.

Os agentes lavraram também dois autos de infração ambiental, pela intervenção em área de preservação permanente. Os responsáveis assinaram termos de compromisso para a recuperação do espaço degradado. O não cumprimento deixa o infrator sujeito a multa, cujo valor vai depender do tamanho da área.

Durante a operação foram avaliadas as condições de 28 animais, com os quatro cavalos encontrados em situação de sofrimento físico. Os carroceiros receberam orientação sobre o manejo adequado para tal atividade.

De acordo com o capitão Alessandro Daleck, para se constatar os maus-tratos dos animais, são observados, entre outros pontos, a condição física corporal do cavalo, se ele está raquítico, se apresenta lesões, o casqueamento (ato de aparar o casco) e o ferrageamento (ato de colocar ferraduras). Esse último, por exemplo, se for feito incorretamente, interfere em toda estrutura óssea e muscular, causando muita dor.

É preciso também respeitar o limite de peso que o animal pode transportar (o cavalo só pode carregar o peso dele, mais que isso, causaria problemas ósseos e na musculatura). “Há sinais mais evidentes do dia a dia que podem apontar maus-tratos, entre os quais feridas aparentes, falta de ferradura em caso de utilização do animal em vias calçadas; falta de água e comida, além de agressões físicas.”

A ação contou com a participação de 20 policiais, além de fiscais da Vigilância Sanitária e das Secretaria de Serviços Gerais e Meio Ambiente.

Outro alvo da fiscalização foi o descarte de todo tipo de resíduo feios pelos carroceiros. Os funcionários da Prefeitura realizaram limpeza em terrenos e APP – Área de Preservação Permanente – onde foi constatado o descarte de lixo e entulho.

Cada carroceiro flagrado por causar maus tratos aos animais terão que pagar multa no valor de R$ 3 mil. Eles tiveram o animal apreendido. Denúncias podem ser feitas pelo telefone da Polícia Ambiental: 3201-3670.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.