Polícia Ambiental prende acusados de caça ilegal em Guaraqueçaba, PR

Polícia Ambiental prende acusados de caça ilegal em Guaraqueçaba, PR

Na quarta-feira, 26, uma operação realizada por policiais militares da 1.ª Companhia do Batalhão de Polícia Ambiental Força Verde (BPAmb-FV), resultou na prisão de três suspeitos de caça ilegal no município de Guaraqueçaba. Na ação foram resgatados vários pássaros que eram mantidos em cativeiro e apreendidas armas de fogo e outros objetos usados pelo grupo.

Tudo começou com denúncias sobre a ação de cinco caçadores de animais da fauna silvestre, praticada com o uso de arma de fogo, na comunidade do Medeiros. Os policiais militares então realizaram diligências a fim de verificar indícios e evidências suficientes acerca dos fatos e dos envolvidos e descobriram que, na semana passada, eles teriam matado um jacaré e arrastado o corpo do animal pela comunidade.

Corpo do jacaré foi arrastado pela comunidade.

As investigações culminaram na solicitação de mandados de busca e apreensão à 2.ª Promotoria de Justiça da Comarca de Antonina e que foi expedida pela Juíza da Vara Criminal de Antonina. Após, os policiais militares ambientais deflagraram a operação para o cumprimento da ordem judicial nas residências dos cinco suspeitos.

O cumprimento dos mandados resultou em três suspeitos presos em flagrante e outro identificado e ouvido. Um quinto suspeito não foi localizado, mas na casa dele os policiais apreenderam uma espingarda e munições.

A operação foi encerrada com a apreensão de mais três espingardas, calibres 32 e 36, além de várias munições intactas e deflagradas; uma carabina calibre 4.55 mm, além de chumbo, espoletas, redes usadas para caçar tatu, pios para atrair aves silvestres, estilingue, alçapão e fisgas tridentes utilizadas para caça e pesca predatória.

Além disso, foram resgatados 15 pássaros da fauna silvestre em cativeiro, sem a devida autorização ambiental, sendo 10 coleirinhos, dois periquitos verde, além de um pixoxó, um bigodinho e um trinca-ferro. Ainda houve a apreensão de 14 gaiolas.

Por fim, os três presos foram encaminhados para a 7.ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) de Antonina, juntamente com os materiais apreendidos, para que fossem tomadas as providências necessárias.

Fonte: Agora Litoral