Polícia apreende mais uma cobra exótica criada ilegalmente no DF; veja vídeo

Polícia apreende mais uma cobra exótica criada ilegalmente no DF; veja vídeo
Cobra corn snake sem autorização do Ibama, encontrada no DF — Foto: G1 DF

A Polícia Civil do Distrito Federal apreendeu mais uma serpente exótica, em Planaltina, na noite de terça-feira (21). Uma corn snake, ou cobra do milho, estava sendo criada em cativeiro por um homem que não tinha autorização legal para a atividade.

A equipe da 16ª Delegacia de Polícia foi informada do crime por meio de uma denúncia anônima e iniciou as investigações. Os agentes apuram se há conexão com outros casos de animais exóticos criados irregularmente na capital. 

Desde que o estudante de medicina veterinária Pedro Henrique Krambeck, de 22 anos, foi picado por uma cobra naja, em 7 de julho, mais de 33 animais mantidos de forma ilegal no DF foram apreendidos. Nesta quarta (22), um amigo de Pedro foi preso por suspeita de atrapalhar as investigações (veja mais abaixo).

Corn snake
 
A cobra corn snake, de origem norte-americana, será periciada e encaminhada ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama), para os cuidados necessários.
 
Em depoimento à polícia, o homem disse que ganhou o animal há quatro anos, enquanto trabalhava em um pet shop. Ele criava a serpente na própria casa, em uma caixa plástica de tamanho insuficiente para a espécie.

Segundo a polícia, o homem foi liberado após assinar termo se comprometendo a comparecer à Justiça. Ele foi indiciado pelo crime de maus-tratos a animais exóticos. 

Operação Snake
 
Na manhã desta quarta-feira (22), a Polícia Civil prendeu o estudante Gabriel Ribeiro. Ele é amigo de Pedro Henrique Krambeck e, segundo a corporação, é suspeito de tentar atrapalhar as investigações sobre um suposto esquema de tráfico de animais.

Gabriel Ribeiro, amigo de Pedro Henrique Krambeck presta depoimento para a Polícia Civil do DF — Foto: TV Globo/Reprodução

A prisão faz parte da terceira fase da Operação Snake. Gabriel e Pedro são investigados como membros de um esquema criminoso. A advogada do estudante detido esteve na delegacia para acompanhar a prisão, mas não quis comentar o caso.

Segundo a polícia, Gabriel tentou obstruir provas dos crimes desde o início das investigações. Ele foi apontado como o possível responsável por levar 16 serpentes que estavam em posse de Pedro Krambeck para um haras, em Planaltina, além de esconder a naja próximo a um shopping da capital.

O estudante também foi multado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis em R$ 81,3 mil por dificultar a ação do instituto, manter animais nativos e exóticos em locais inapropriados e sem autorização, além de maus-tratos.

O suspeito está preso temporariamente, ou seja, por até cinco dias, com possibilidade de prorrogação por igual período. Ele foi encaminhado à 14ª Delegacia de Polícia (Gama).

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.