Polícia busca responsáveis nos arredores de ponto de ‘desova’ de animais em Campo Grande, MS

Polícia busca responsáveis nos arredores de ponto de ‘desova’ de animais em Campo Grande, MS

Autores abandonaram cães, gatos e até galos.

 

Investigadores da Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista) percorrem os arredores do ponto que servia como ‘desova’ de animais ainda vivos, no Bairro José Abrão, em Campo Grande. A delegada Rosely Aparecida Molina, responsável pelas investigações, informou na tarde desta quarta-feira (14), que além das buscas por câmeras de segurança, a polícia conversa com moradores da região em busca de mais informações.

O caso foi descoberto no último domingo (11), quando a protetora de animais Sandra Luba deparou-se com um terreno com vários animais largados no local amarrados dentro de sacos e caixas à própria sorte.

Sandra teria ido até o local para tentar resgatar um outro animal, cujas pistas indicavam que ele estaria próximo ao açude que há nas proximidades do Sesi. Foi quando ela ouviu um pequeno latido e constatou o espaço de ‘desova’.

No dia, a protetora flagrou uma cachorrinha que dava à luz debaixo do sol e morreu, gatos em caixas, galo de rinha amarrado pelos pés e pelas asas, e até um cão da raça Boxer, que agonizava em uma caixa. O cachorro recebeu o nome de Andy e estava internado há dois dias, mas não resistiu e morreu nesta terça-feira (13).

Conforme a delegada, nada será descartado e a polícia segue as linhas de investigação. “Estamos vericando as informações da denúncia e procurando câmeras de segurança de casas próximas. ALém disso, estamos vendo informações com os proprietários ao redor para conseguir características dos responsáveis” explica Rosely.

Manifestação

No próximo domingo (18), um grupo de protetoras realizará a Marcha Nacional em Defesa Animal. A concentração será às 9 horas, no cruzamento da Avenida Afonso Pena e a Rua 13 de Maio.

Fonte: Midiamax

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.