Polícia Civil investiga morte de cadela que foi agredida no interior do Rio

Polícia Civil investiga morte de cadela que foi agredida no interior do Rio
Cadela foi morta no último sábado (15) em São Francisco de Itabapoana — Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal

A Polícia Civil está investigando a morte de uma cadela que foi agredida até morrer no último sábado (15) em São Francisco de Itabapoana, no Norte Fluminense. O caso ganhou repercussão depois que a esposa do suspeito de ter agredido o animal gravou um vídeo que está circulando nas redes sociais.

https://youtu.be/v_kb9kXVWqA

A cachorra pertencia aos avós da mulher e a família registrou o caso no domingo (16) na 134ª Delegacia Legal do Centro de Campos dos Goytacazes, responsável pelo plantão do último final de semana.

O crime começou a ser investigado nesta segunda-feira (17) na 147ª Delegacia Legal de São Francisco, e segundo a delegada titular da unidade, Ivana Morgado, diligências já estão sendo feitas em São Francisco e em Campos.

A delegada espera resolver o caso ainda nesta semana e vai ouvir todos os envolvidos.

O crime teria acontecido porque a cadela mordeu o pé do homem por se assustar com ele. Segundo a denúncia da família, o homem bateu com a cabeça do animal diversas vezes na parede, o jogou para cima e pisou no corpo dele.

“Olha só o que que o meu marido, que agora é ex, acabou de fazer com a cachorra. Matou a cachorra, ensanguentou tudo, olha. Matou a cachorra, ‘essezinho’ aqui. Esse sujeito aqui. [Aponta para o homem]. Olha o sangue na cabeça dele aqui. Isso é pra todo mundo ver. Olha o estado da minha avó que tem pressão alta. E a cachorra morta”, diz esposa do suspeito no vídeo, indignada.

O vídeo também mostra a idosa de 80 anos, dona da cachorra, chorando com o corpo do animal no colo. A família afirma que a cadela era a companhia da idosa, que sofre de pressão alta, e do marido dela, que sofre de Alzheimer.

“Ele socou a cachorra no chão, socou, bateu na cachorra, matou a cachorra. Ela já estava morta e ele tacou no muro, lá está o sinal. Esmagou a cabeça da cachorra no muro, que até machucou a mão dele. Eu comecei a gritar: não faz isso, pelo amor de Deus! Não mata minha cachorra! E ele dizia: vou matar, vou matar!”, contou a idosa Maria da Penha.

A sogra do suspeito, filha da dona do animal, espera que o homem seja punido. “Eu quero que ele seja punido, que ele pague pelo que fez. Isso foi um crime, porque é uma vida. Um animal que é cuidado como um ser da nossa família”, disse Cláudia Ribeiro.

Matar animais é crime

Matar cachorro – ou qualquer outro animal – é crime. Não importa se o animal é doméstico, domesticado, silvestre, nativo ou exótico.

O que trata disso é o artigo 32 da Lei dos Crimes Ambientais, de 1998. A lei prevê detenção de três meses a um ano, além de multa, para quem “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar” qualquer tipo de animal. Se houver a morte do bichinho, a pena aumenta até um terço.

Fonte: G1

VÍDEO: cadela é espancada até a morte na frente da família no RJ

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.