Polícia Civil resgata cachorro que vivia em maus-tratos, em Araranguá, SC

Polícia Civil resgata cachorro que vivia em maus-tratos, em Araranguá, SC

Nesta manhã desta quinta-feira, 30, por volta das 10h, a reportagem do Portal W3 recebeu uma notícia de maus-tratos aos animais que acontecia no bairro Lagoão. Após saber da situação, levamos o caso à Polícia Civil e delegado Lucas Rosa com sua equipe, ficou responsável pelo resgate do animal.

Segundo relatos, o cachorro estava agonizando há alguns dias, não era alimentado e estava extremamente debilitado. Em conversa com a nossa reportagem, foi relatado, “este animal sumiu dia 28 de janeiro e apareceu na frente da casa, e a FAMA – Fundação Ambiental do Município de Araranguá, informou que não podiam ajudar em casos como esse”.

Nossa reportagem acompanhou a Polícia Civil até a residência, foi verificado que o animal morreu minutos antes da chegada da guarnição e já havia sido enterrado. No local, encontramos outro cachorro, também muito doente. Resgatado pela Polícia Civil e encaminhado até a FAMA, o animal foi diagnosticado com cinomose, uma doença altamente contagiosa e de baixa taxa de sobrevivência.

Em entrevista com o Delegado Lucas, ele ressalta que “constatamos que o outro animal encontrado na casa estava também em situação de maus-tratos, não tinha alimentação, aparentemente estava doente e não estava recebendo nenhum tipo de tratamento veterinário, e em razão disso comunicamos a proprietária da residência que não deu explicações concretas sobre a situação do animal”.

A mulher foi autuada em flagrante pelo crime de maus-tratos e foi encaminhada para a Central de Polícia de Araranguá para os procedimentos cabíveis. O animal está em observação na clínica da FAMA e já tem um lar temporário após a conclusão dos tratamentos.

Foto da denúncia.
Local onde o outro cachorro foi enterrado.

Local em que se encontrava os animais.

A matéria foi alterada às 18:12h para correção de informações.

Fonte: Revista W3

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.