Polícia de Istambul apreende 396 espécimes taxidermizados de animais selvagens protegidos

Polícia de Istambul apreende 396 espécimes taxidermizados de animais selvagens protegidos
Foto Brothers Art/Shutterstock

Em uma operação recente realizada pela Seção de Combate ao Contrabando e ao Crime Organizado do Departamento de Polícia de Istambul [Turquia], uma descoberta surpreendente esclareceu o comércio ilícito de espécimes taxidermizados de animais selvagens protegidos. A operação, realizada nos distritos de Sarıyer e Arnavutköy, em Istambul, resultou no confisco de 396 peças de itens ornamentais confeccionados e animais taxidermizados.

O suspeito, identificado como Ali H.Ü., foi preso após uma denúncia sobre um indivíduo envolvido no comércio de restos empalhados de animais selvagens como itens decorativos. As investigações levaram as autoridades a dois endereços separados, onde centenas de animais eram taxidermizados para exibição e comércio. Durante a operação, foi apreendida uma grande variedade de espécimes taxidermizados e troféus de animais selvagens, incluindo espécies como veado, antílope-americano, bisão, jaguar, crocodilo, urso e cabra-da-montanha. O valor aproximado de mercado desses itens apreendidos foi surpreendente, totalizando 75 milhões de liras turcas (US$ 2,3 milhões).

O que é particularmente alarmante é a revelação de que o suspeito, Ali H.Ü., não estava envolvido apenas com caça e taxidermia em nível nacional, mas também internacional. Os relatórios indicam que ele é um caçador profissional que já atuou em mais de 30 países. Surpreendentemente, descobriu-se que Ali H.Ü. foi responsável pelo abate do último tigre da Anatólia em Hakkari, na Turquia, e exibiu sua pele como troféu.

Os materiais apreendidos, que incluem troféus, peles e partes variadas de animais, como chifres e dentes, representam um golpe significativo no comércio ilegal de animais selvagens. Esses itens agora serão entregues à Diretoria Geral de Conservação da Natureza e aos funcionários dos Parques Nacionais para que tomem as devidas providências.

Por Trinity Sparke / Tradução Ana Carolina Figueiredo

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.