Foto: Divulgação

Polícia desmancha ponto de rinha de galos e resgata 42 aves utilizadas na prática ilegal em Cascavel, no Ceará

Uma operação intitulada “Espora da Lei” foi deflagrada, nesse domingo (10), por policiais civis da Delegacia Metropolitana de Cascavel e da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), no município de Cascavel. A ação teve como objetivo combater a rinha de galos e resultou em 11 pessoas conduzidas à unidade da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) e no resgate de 42 galos, todos utilizados na prática ilegal.

A investigação teve início a partir de denúncias feitas junto à autoridade policial, que apontavam para um endereço no bairro Choró Zumba, utilizado para a prática da rinha de galo. Após apurarem as informações e colherem os detalhes necessários, os policiais da Delegacia Metropolitana de Cascavel, com o apoio de profissionais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), saíram em diligência até o imóvel indicado. Ao perceberem a aproximação dos policiais, vários indivíduos se evadiram. Os agentes de segurança ingressaram no imóvel e encontradas 11 suspeitos de envolvimento com o crime.

Após uma vistoria no terreno, os policiais civis localizaram um espaço utilizado para abrigar os animais. No local, havia boxes de alvenaria, um ringue onde foram encontrados dois galos, medicamentos, seringas, bicos de alumínio, esporas, agulhas, dinheiro e outros objetos relacionados ao crime. No total, 42 galos foram resgatados durante a ação, alguns acondicionados em sacolas caseiras feitas de tecido e muitos apresentavam lesões típicas das brigas. Um galo morto também foi apreendido.

Todos os indivíduos foram levados para a Delegacia Metropolitana de Cascavel, onde foi registrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) referente ao crime ambiental. Todos os envolvidos prestaram depoimento e foram liberados em seguida, para responderam pelo crime. Os animais apreendidos foram encaminhados à Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri).

Fonte: O Lagoa

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.