Polícia divulga foto de tutor de bull terrier que atacou e matou cão Fox; homem está foragido

Polícia divulga foto de tutor de bull terrier que atacou e matou cão Fox; homem está foragido
Polícia divulga foto de tutor de bull terrier que atacou e matou cão Fox — Foto: Reprodução

A Polícia Civil divulgou uma imagem de Umberto Vieira Ghilarducci, de 43 anos, tutor do bull terrier que atacou e arrancou o focinho de Fox, um cachorro da raça spitz alemão que morreu por complicações de saúde pelo ataque na última quarta-feira (25).

O caso, que comoveu o país, aconteceu no dia 9 de outubro, em São José dos Campos (SP). Fox perdeu o focinho no ataque e ficou mais de duas semanas lutando pela sobrevivência – leia detalhes abaixo.

O tutor do bull terrier é procurado pela polícia e considerado foragido da Justiça. Por conta disso, uma foto de Umberto foi publicada pela Polícia Civil nas redes sociais. Na publicação, a corporação informa que o bull terrier foi incentivado por seu tutor durante o ataque, e que o cachorro sofria maus-tratos.

“A Polícia Civil comprovou que o investigado é pessoa extremamente agressiva e fazia uso do próprio cão, também vítima de maus tratos, para atacar outras pessoas e cães”, disse a polícia na publicação.

Polícia divulga foto de tutor de bull terrier que atacou e matou cão Fox — Foto: Divulgação/Polícia Civil
Polícia divulga foto de tutor de bull terrier que atacou e matou cão Fox — Foto: Divulgação/Polícia Civil

A corporação informou também que qualquer informação sobre a localização do homem de 43 anos pode ser compartilhada – de forma anônima – por meio do telefone 181 ou pelo portal de denúncia da polícia.

Polícia fez buscas no imóvel de Umberto, mas ele e o cachorro não foram encontrados. — Foto: Arquivo pessoal
Polícia fez buscas no imóvel de Umberto, mas ele e o cachorro não foram encontrados. — Foto: Arquivo pessoal

Mandado de prisão

A Justiça decretou na última sexta-feira (27) a prisão temporária de Umberto Vieira Ghilarducci, de 43 anos, tutor do bull terrier que atacou e arrancou o focinho de Fox, que morreu duas semanas depois.

O mandado de prisão temporária foi expedido pela Justiça após pedido da Polícia Civil, que investiga o caso. Ainda na sexta-feira (27), policiais chegaram a ir até a casa de Umberto, mas não o encontraram. Ele segue sendo procurado pela corporação, que agora divulgou sua foto para ajudar nas buscas.

No documento, assinado pela juíza Beatriz Afonso Pascoal Queiroz, da 3ª Vara Criminal do Foro de São José dos Campos, a magistrada argumenta que “os elementos informativos convencem de que o investigado é pessoa agressiva, que usa o próprio cão (eventualmente também vítima de maus-tratos) como instrumento do crime”.

Fox morreu nesta quarta-feira (25) em uma clínica em São Paulo — Foto: Arquivo Pessoal
Fox morreu nesta quarta-feira (25) em uma clínica em São Paulo — Foto: Arquivo Pessoal

A juíza afirma também que “o cãozinho Fox foi atacado nos limites da própria residência pelo cão do investigado, que estava sem focinheira, conduta que, segundos informes, era corriqueira. Há relatos de fatos semelhantes pretéritos envolvendo o investigado, de que ele está intimidando as tutoras do cão e outras testemunhas e de que está se esquivando da polícia”.

Por fim, a juíza decreta a prisão preventiva de Umberto e determina que o cão da raça bull terrier do homem seja apreendido pela polícia.

O g1 tenta contato com Umberto. Se ele ou a defesa se manifestarem, a matéria será atualizada.

VÍDEO: Morre cão que teve focinho arrancado

Investigação

O homem tem 43 anos e é investigado pela Polícia Civil por crueldade contra animais, crime que pode render pena de até cinco anos de prisão e multa ao tutor do bull terrier.

A corporação abriu um inquérito para investigar o caso. O objetivo é apurar a responsabilidade do tutor do cão que atacou Fox.

Tutora diz que Bull Terrier estourou a grade de proteção do portão no ataque — Foto: Arquivo Pessoal
Tutora diz que Bull Terrier estourou a grade de proteção do portão no ataque — Foto: Arquivo Pessoal

Em entrevista ao g1 no último domingo (22), a delegada responsável pelo caso, Maura Braga, afirmou que o inquérito estava em fase final.

“Ouvimos várias testemunhas do caso, as tutoras do Fox e analisamos várias imagens de câmeras de segurança para auxiliar na investigação. Ainda solicitei uma análise comportamental (bull terrier) para entendermos o comportamento do animal”, explicou a delegada.

“Precisamos entender se o homem usou o animal como uma arma, já que identificamos que essa não é a primeira vez que o bull terrier ataca outro cachorro. O animal não pode ser responsabilizado, mas queremos entender se o tutor incentiva esse tipo de comportamento”, disse Braga.

Tutora de Fox posta foto confirmando morte do animal — Foto: Redes Sociais
Tutora de Fox posta foto confirmando morte do animal — Foto: Redes Sociais

Morte

Fox, o cão da raça Spitz Alemão que perdeu o focinho após ser atacado por um Bull Terrier, morreu no início da tarde desta quarta-feira (25) por conta das complicações das lesões sofridas no ataque.

A informação da morte do cachorro foi confirmada por Sofia Albuquerque, tutora do animal. Nas redes sociais, a jovem lamentou a morte de Fox e disse que fez tudo o que podia para salvá-lo.

“Eu fiz tudo que eu pude. Eu vivi por você todos esses dias. Mas eu não consegui evitar que te arrancassem de mim! Eu te amo e vou te honrar. #LutoPeloFox”, disse Sofia em uma publicação no Instagram.

Despedida de Fox: velório de cão que morreu após ataque de bull terrier teve transmissão online e coroa de flores. — Foto: Reprodução/Instagram
Despedida de Fox: velório de cão que morreu após ataque de bull terrier teve transmissão online e coroa de flores. — Foto: Reprodução/Instagram

No início da semana, o g1 já havia noticiado a piora no estado de saúde de Fox, que seguia internado em Unidade de Tratamento Intensiva (UTI).

De acordo com Sofia, como o cão perdeu o focinho, passou a enfrentar muita dificuldade para respirar. Ele estava internado há mais de duas semanas. Primeiro, foi levado a uma clínica de São José, onde ficou os primeiros 10 dias.

Depois, foi transferido para uma unidade da capital paulista, onde passou a receber tratamento especializado, mas não resistiu e morreu.

Fox passou por procedimentos em São José dos Campos, mas precisou ser transferido para São Paulo — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
Fox passou por procedimentos em São José dos Campos, mas precisou ser transferido para São Paulo — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Ataque

Um cachorro da raça Spitz Alemão perdeu o focinho após ser atacado por um cão da raça Bull Terrier em São José dos Campos. O episódio viralizou nas redes sociais e é investigado pela Polícia Civil, que apura a responsabilidade do tutor do cão envolvido no ataque.

O caso aconteceu na Rua Professor José Antônio Coutinho Condino, no Jardim América, e foi denunciado pela tutora de Fox, que foi atacado. Desde então, o Spitz Alemão estava internado.

Fox é da raça Spitz Alemão — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Fox é da raça Spitz Alemão — Foto: Reprodução/Redes Sociais

“Ficamos em pânico, totalmente sem reação e a gente basicamente só gritava. O sentimento que a gente teve foi de pânico porque a gente nunca imaginou na nossa vida que alguma coisa dessa aconteceria”, afirmou Sofia Albuquerque, tutora de Fox.

Fox, cão atacado em São José — Foto: Arquivo Pessoal
Fox, cão atacado em São José — Foto: Arquivo Pessoal

Fonte: g1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.