Polícia Federal promove oficina em Manaus para ajudar no combate ao tráfico de animais silvestres

Polícia Federal promove oficina em Manaus para ajudar no combate ao tráfico de animais silvestres

Nesta terça-feira (18/6), teve início a Oficina IMPACTAS (Iniciativa Multiagências Para o Combate ao Tráfico de Animais Silvestres), um projeto da Polícia Federal coordenado pela Diretoria da Amazônia e Meio Ambiente e pela Diretoria Técnico-Científica. O evento acontece entre os dias 18 e 20 de junho no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus. As atividades incluem colaborações, trocas de experiências, debates, treinamentos e ações de fiscalização voltadas à proteção da fauna silvestre e ao combate aos ilícitos relacionados.

A oficina conta com o apoio da Receita Federal, Polícia Rodoviária Federal, Ibama, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Vigiagro, Wildlife Conservation Society (WCS Brasil), Conservare Wild Consulting e VINCI Aeroportos.

São abordados temas como a biodiversidade amazônica, a fiscalização de organismos aquáticos, o comércio internacional de espécimes silvestres, a atuação em locais de crimes e exames periciais, os crimes ambientais e sua repressão na esfera federal, a segurança aeroportuária e o controle aduaneiro.

A integração e o trabalho conjunto entre os órgãos públicos e as entidades privadas para o combate das práticas ilegais é fundamental para o combate eficaz ao tráfico de animais silvestres, na medida em que torna possível a apreensão das cargas, diminuindo a oferta no mercado, e identificando o maior número de pessoas envolvidas no crime.

A prática de crimes contra a fauna silvestre causa não apenas o sofrimento, e muitas vezes a morte, de cada indivíduo traficado, mas também retira da natureza importantes agentes do equilíbrio dos ecossistemas, causando prejuízos ambientais difusos de difícil e demorada restauração, que, por fim, também atingem a boa qualidade da vida humana.

Adquirir animais silvestres ilegalmente, o que por si só é uma atividade criminosa, deve ser entendido pela população em geral como prática extremamente nociva ao meio ambiente, em que para cada animal silvestre ou produto adquirido ocorre a morte de diversos outros indivíduos, resultado dos maus tratos e abusos cometidos pelos traficantes de animais. A admiração pelos animais deve ocorrer em meio a natureza, ou pelo mercado legalizado, sendo a compra de animais e suas partes no mercado ilegal a principal razão da existência do tráfico de animais silvestres, atividade que busca apenas a obtenção de vantagens financeiras ao custo de diversas práticas criminosas e prejudiciais ao meio ambiente.

O evento contou com o financiamento de duas instituições internacionais de apoio ao combate ao tráfico, a Bureau of International Narcotics and Law Enforcement Affairs (INL) e a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID). Este é um importante marco para a proteção da vida silvestre no país e espera-se que a partir desta iniciativa muitas atividades sejam desenvolvidas ao longo dos próximos anos para fortalecer o trabalho dos agentes fiscalizadores.

Fonte: Blog do Hiel Levy

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Deixe um comentário