Polícia indicia mulher que estava vendendo cachorro sequestrado em Várzea Grande, MT

Polícia indicia mulher que estava vendendo cachorro sequestrado em Várzea Grande, MT
A Polícia Civil recuperou Bob após a descoberta do anúncio no Facebook (Foto: Montagem/MidiaNews)

Um cachorro da raça “poodle toy” foi recuperado pela Polícia Civil em ação da equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG).

Uma mulher que estava comercializando o animal pela rede social Facebook responderá pelo crime de receptação.

O pet de nome “Bob” foi furtado na segunda-feira (09) de uma casa no Bairro Costa Verde, em Várzea Grande, e desde então toda família estava mobilizada para encontrar o animal.

A família percebeu o furto por volta das 19h, quando voltou da igreja e não foi recebida pelo animal de estimação, como de costume.

Segundo sua tutora, Elmara Cristina Cantarini Pazeto, Bob estava com a família há oito meses e era muito dócil e brincalhão. A sua filha, de 7 anos, chegou a adoecer com a ausência.

“Assim que percebemos o furto, minha filha chorou muito. No dia seguinte, ela continuava a chorar e teve até febre por ele não estar em casa”, contou.

Com a ajuda de amigos e vizinhos, a família procurou pelo animal por todo bairro e região, porém não conseguiu encontrá-lo.

Durante uma pesquisa de anúncios de animais pelo Facebook, uma vizinha reconheceu Bob sendo oferecido por R$ 700.

Com a informação, a vítima entrou em contato com a Polícia Civil e marcou o encontro com os anunciantes, demonstrando interesse em comprar o pet.

Acompanhada por uma equipe de investigadores da unidade, a vítima foi até o local previamente acordado com os vendedores, onde foi constatado que o cão era realmente Bob.

A vendedora, identificada pelas iniciais L. S. A. C., de 20 anos, foi encaminhada à Derf e, em interrogatório, afirmou que comprou o cachorro de uma usuária de drogas pelo valor de R$ 150. Por isso, ela foi autuada por receptação.

A autora do furto foi identificada e responderá pelo crime em inquérito policial, uma vez que não havia mais situação de flagrante.

Fonte: Midia News 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.