Polícia investiga áudio de suspeita de matar cães em Teresina (PI): 'matei, vou negar?'

Polícia investiga áudio de suspeita de matar cães em Teresina (PI): ‘matei, vou negar?’

A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente de Teresina está apurando uma denúncia que envolve um áudio gravado, no qual uma suspeita, ainda não identificada, teria confessado matar cachorros. O ato é crime previsto pela lei de crimes ambientais. A denúncia foi feita pela protetora de animas Thanandra Stefany, que era a dona dos animais que foram mortos.

Vídeo: Polícia investiga áudio em que mulher teria confessado matar cachorro.

Segundo a jovem, a mulher mora perto de sua casa e teria confessado o crime, dizendo que matou os cães. Thanandra diz que ela teria feito isso porque os animais estariam invadindo seu terreno. A jovem pede uma providência da polícia, que recebeu o caso. A polícia deve agora apurar a veracidade do áudio e a morte dos cães.

“Esse áudio foi ela confessando que matou uma cachorra minha há uns dois anos a pauladas, na época não fizemos boletim de ocorrência e ela disse agora que comprou um veneno bom e vai matar todos [os cães] que entrarem no terreno dela. A gente sabe que os animais não entendem isso e acabam entrando”, relatou ela ao G1.

No áudio gravado, Thanandra e o pai conversam com a mulher sobre o caso. O pai da jovem diz: “A senhora matou um cachorro, está gravado a senhora dizendo. Se for para a Justiça, a senhora responde a um processo”, disse. 

A mulher, ainda não identificada, respondeu: “Matei. Vou negar que matei? Não vou negar nem para a polícia o que eu fiz”.

Thanandra disse ainda à mulher que já procurou a delegacia sobre o caso. A jovem relatou ao G1 que o primeiro animal foi morto a pauladas há alguns anos. Agora, nos dois últimos dias, quinta e sexta-feira (22), outros dois cães foram achados mortos e a suspeita é de envenenamento.

“Eu resgato os animais e crio em casa e a vizinha diz que os animais estão matando as galinhas dela, disse que comprou veneno. Ela já matou animais, nós já brigamos, e ela disse que vai continuar. Agora queremos providências da polícia”, disse.

Ela contou que foi até a sede da delegacia do Meio Ambiente e foi orientada a registrar um boletim de ocorrência pela delegacia virtual. A orientação visa reduzir a circulação de pessoas no local devido à pandemia do novo coronavírus.

A Secretaria de Segurança Pública do estado informou que o caso será apurado e que denúncias semelhantes podem ser feitos por meios virtuais. Veja íntegra da nota:

Nota

A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente informa que recebeu o registro de Boletim de Ocorrência por parte da denunciante. A partir disso, todas as medidas necessárias para a investigação do caso serão tomadas pela delegacia.
 
A Polícia Civil acrescenta que conforme orientações sanitárias neste momento de pandemia, o cidadão pode realizar seus registros de BO por meio da Delegacia Eletrônica e que no caso de dúvidas pode acessar o WhatsApp tira dúvidas da DE, número (86) 99414-9671

Por Maria Romero

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.