Polícia Militar Ambiental resgata pássaros mantidos ilegalmente em cativeiro em Cândido Mota, SP

Polícia Militar Ambiental resgata pássaros mantidos ilegalmente em cativeiro em Cândido Mota, SP
Fotos: Polícia Militar Ambiental de Marília

Nesta quinta-feira, 19 de janeiro, policiais militares do 2º Batalhão de Polícia Militar Ambiental, destacados no 2º Pelotão de Assis, em atendimento de denúncia, apreenderam treze pássaros nativos das espécimes Sofrê, Graúna, Azulão, Canário da Terra, Iraúna Grande, Pintassilgo, Papa Capim e Sabiá da Mata, por estarem ilegalmente em cativeiro, sendo constatadas, também, adulterações em suas anilhas.

Diante do exposto, os policiais militares ambientais lavraram o Auto de Infração Ambiental, no valor de R$ 11.000, por ter em cativeiro espécime da fauna silvestre nativa, sem autorização do órgão competente.

Os pássaros foram levados para a Associação Protetora dos Animais e Aves Silvestres de Assis.

Vale lembrar que o Azulão encontra-se ameaçado de extinção.

O infrator responderá pelo crime ambiental de ter pássaro silvestre em cativeiro, cuja pena é de detenção de seis meses a um ano e multa; e o crime de adulteração de selo público, cuja pena é reclusão, de dois a seis anos, e multa.

A Polícia Militar Ambiental orienta que as denúncias sejam feitas através dos telefones 0800-0555-190, 181 (Disque Denúncia), EMERGÊNCIA 190, ou ainda diretamente às unidades da Polícia Militar Ambiental pelos telefones: (14) 3433.7199 – Marília; (14) 3496.5884 – Tupã; (18) 3323.5111 – Assis; (14) 3322.3077 – Ourinhos.

 Por  Ewerton Ricardo Messias

Fonte:  Polícia Militar Ambiental de Marília

 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.