Polícia Militar apreende 37 galos usados em supostas rinhas em Batatais, SP

Polícia Militar apreende 37 galos usados em supostas rinhas em Batatais, SP
Esporas, biqueiras colocadas nos animais para a rinha foram encontrados na casa (Foto: Maurício Glauco/EPTV)

Um homem foi detido na manhã desta segunda-feira (26) por suspeita de promover rinhas de galos em Batatais (SP). Segundo a Polícia Militar, na casa dele foram apreendidos 37 aves, medicamentos, seringas, esporas e um ringue montado. Ele deverá responder por maus-tratos.

A Polícia Militar recebeu uma denúncia anônima e seguiu até o imóvel na Rua Sebastião Alves de Oliveira, no bairro Jardim Anselmo Testa. Segundo a polícia, as aves estavam em gaiolas de madeira e algumas delas apresentavam graves lesões, provavelmente causadas nas brigas. Materiais supostamente usados nas lutas foram apreendidos.

VÍDEO: Polícia apreende 30 galos que seriam usados em rinhas em Batatais, SP

“Foram apreendidos remédios para cicatrização rápida, anabolizantes, remédio para dor. São remédios muito potentes, usados para uma rápida recuperação da ave”, diz o tenente da Polícia Militar Ambiental Diogo Araújo.

Uma arena utilizada para a briga de galos também foi apreendida no local em Batatais, SP (Foto: Maurício Glauco/EPTV)
Uma arena utilizada para a briga de galos também foi apreendida no local em Batatais, SP (Foto: Maurício Glauco/EPTV)

O médico veterinário Eduardo Toledo Pereira esteve no local para avaliar a situação das aves. Segundo ele, elas estavam em gaiolas pequenas e apertadas, em condições precárias, o configura crime.

“Só o espaço restrito para movimentação das aves já caracteriza maus-tratos. Alguns galos tem asas, pescoço e coxas com ferimentos.

A Polícia Militar apreendeu ainda uma porção de maconha. O proprietário foi identificado e confirmou ser o dono dos animais. No entanto, ele negou a utilização das aves para realização de rinhas.

“Não teve flagrante, porém todos os indícios é que de fato que ali ocorre rinha. Apesar do proprietário negar, você tem uma arena montada, todos os apetrechos, tem galo com lesão. De qualquer forma, isso vai caber a autuação da Polícia Ambiental e a parte criminal vai ficar com o delegado”, afirma Araújo.

De acordo com o sargento da PM Adriano Lanchote, apesar da ação da polícia, as aves ainda deverão ficar sob os cuidados do suspeito, porque não há um local específico para acolhê-las.

“Nós não temos um local para destinar esses animais. Então, vamos aguardar a determinação do delegado plantonista. Porém, no primeiro momento, pode ficar sob o depósito do próprio conduzido por alguns dias até conseguirmos um local adequado”, diz.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.