Tartarugas recuperadas pela Polícia Militar em São Miguel do Araguaia — Foto: Reprodução/PM

Polícia Militar detém casal suspeito de caçar 22 tartarugas no Rio Araguaia, em Goiás

O Batalhão Ambiental da Polícia Militar recuperou 22 tartarugas que foram caçadas em São Miguel do Araguaia, no norte de Goiás, na quarta-feira (6). Segundo a corporação, um casal foi detido suspeito de cometer o crime ambiental por retirar os animais do Rio Araguaia.

VÍDEO: Polícia flagra barco com 22 tartarugas no Rio Araguaia, em Goiás

Como o nome dos investigados não foi informado, a reportagem não conseguiu localizá-los para que se pronunciassem sobre o caso.

Levados à Polícia Civil, os detidos assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por caça ilegal e foram liberados, porque o caso é considerado de “menor potencial ofensivo”, segundo o delegado Rafhael Neris Barboza, que atendeu o caso. Eles são obrigados a comparecer a uma audiência agendada na Justiça, quando deve ser definida a pena, que vai até dois anos de prisão.

Com os investigados, foram apreendidos materiais usados na captura de tartarugas: dois sacos plásticos, duas redes de pesca com 40 metros de comprimento e 50 boias de isopor.

Tartarugas recuperadas pela Polícia Militar em São Miguel do Araguaia — Foto: Reprodução/PM

De acordo com o delegado, as tartarugas foram deixadas aos cuidados do Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMBio).

Consultado pelo G1, o biólogo Edson Abrão afirmou que, nas imagens, é possível identificar duas espécies: tartaruga-da-Amazônia (Podocnemis expansa) e tracajá (Podocnemis unifilis).

A primeira, segundo ele, corre o risco de entrar em extinção justamente por ser frequentemente vítima de caças.

Por Vanessa Martins, G1 GO

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.