Polícia moçambicana revela aumento de tráfico de marfim

Polícia moçambicana revela aumento de tráfico de marfim

A Polícia de Manica manifestou a sua preocupação com uma nova onda de tráfico de marfim, a partir de peças roubadas no Parque Nacional da Gorongosa, a mais importante área de conservação de Moçambique.

A revelação foi feita por Mateus Mindu, porta-voz da Polícia de Manica, nesta sexta-feira, 25, dias depois de a corporação apreender mais 11 troféus e deter outros três suspeitos de pertencer um grupo de traficantes.

“Continuamos com um combate cerrado contra o tráfico de pontas de marfim e outros troféus e varias operações culminaram com apreensões e detenções”, disse Mindu, acrescentando que que, nos últimos três meses, cresceu o número de pontas de marfim apreendidas pelas autoridades.

No inicio do mês, uma outra operação da Polícia apreendeu sete pontas de marfim e deteve no distrito de Vanduzi três suspeitos, que transportavam os trofeus para a cidade da Beira, donde seriam exportados para a Asia.

Já em Agosto, a Polícia tinha detido dois cidadãos de nacionalidade cambodjana e apreendeu na sua posse 10 pontas de marfim no distrito de Barué, que não fica distante de um corredor (de Macossa) que liga ao Parque Nacional da Gorongosa.

“Estas apreensões e detenções indicam que estamos perante uma nova rede de tráfico adoptando uma nova rota para saída dos troféus” disse Mateus Mindu.

Com esta operação, que foi coordenada entre a Polícia e a Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC) já foram apreendidos 28 troféus e detidos oito suspeitos nos últimos três meses em Manica.

Refira-se que foi em Cambodja, no porto de Phnom Penh, que em Dezembro de 2018, foram apreendidos 1.026 dentes de elefantes que, segundo apuramos, na altura, foram roubados dos armazéns das autoridades que gerem trofeus de animais oriundos da caça ilegal, em Lichinga, na província moçambicana do Niassa.

Por André Baptista

Fonte: VOA

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.