Polícia prende dono de canil clandestino na zona sul de SP com base na nova lei federal contra maus-tratos a animais

Polícia prende dono de canil clandestino na zona sul de SP com base na nova lei federal contra maus-tratos a animais
Homem é preso por suspeita de manter canil clandestino na Zona Sul de São Paulo. — Foto: Divulgação/Polícia Civil de SP

O dono de um canil clandestino foi preso na quinta-feira (1º) em São Paulo com base na nova lei de maus-tratos a animais, que aumenta a pena para esse crime, de 2 anos, para 5 anos de prisão. Além de multa e proibição da guarda do animal.

De acordo com a Polícia Civil, foi uma das primeiras prisões no Brasil após a validação da nova lei federal. A Lei Sansão entrou em vigor na última terça-feira, em 29 de setembro.

Segundo a investigação, o proprietário do imóvel, que fica no Capão Redondo, na Zona Sul da capital, cortava os rabos de filhotes da raça pinscher, o que é proibido por lei.

Vídeo: Senado aprova pena maior, de até cinco anos, para maus-tratos contra cães ou gatos.

Além disso, ele cruzava a mãe com os filhos para aumentar a procriação dos cães, informou o Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC).

Os policiais informaram que além dos cães, foram encontradas aves silvestres. Todos os animais foram resgatados.

Cães dormiam no galinheiro, segundo policiais. — Foto: Divulgação/Polícia Civil de SP

Segundo eles, o lugar estava em péssimas condições de higiene, com cães presos em galinheiros, fezes espalhadas pelo chão e alimentação em péssimo estado. Os animais estavam doentes, de acordo com a polícia, e passariam por avaliações com veterinários.

O homem preso foi indiciado pelo crime na 2ª Delegacia da Divisão de Investigações Sobre Infrações de Maus Tratos a Animais e Demais Infrações Contra o Meio Ambiente. Depois ele passaria por audiência de custódia na Justiça.

Cães resgatados tiveram os rabos cortados, de acordo com a investigação. — Foto: Divulgação/Polícia Civil de SP

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.