Polícia resgata 80 pássaros silvestres dentro de casa em Montes Claros e homem é multado em mais de 135 mil suspeito de crime ambiental

Polícia resgata 80 pássaros silvestres dentro de casa em Montes Claros e homem é multado em mais de 135 mil suspeito de crime ambiental
Polícia apreendeu 77 gaiolas e 11 armadilhas — Foto: Polícia Militar Ambiental

A Polícia Militar Ambiental resgatou 80 pássaros que estavam em uma casa, localizada no bairro Ibituruna, em Montes Claros. No criatório de aves silvestres, foram apreendidas 75 gaiolas e 11 armadilhas.

Conforme o sargento da Polícia Militar Ambiental, Wedson Rodrigues da Rocha, os animais foram encontrados presos em gaiolas. Eles são das espécies Tico-Tico, Azulão, Trinca-ferro, Encontro, Coleirinho, Galo de campina, Baiano, Sporopila, Bico de veludo, Fim-fim e Saira amarela. Os animais foram encaminhados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), sendo necessário três veículos para fazer o transporte devido à grande quantidade.

“A casa foi encontrada após recebermos denúncia anônima relatando que eram mantidos em cativeiro uma grande quantidade de pássaros. No local, conseguimos fazer a abordagem, o proprietário afirmou que tinha os pássaros, e que a finalidade não era para comércio, mas porque gostava de criar”, disse o sargento.

Animais foram resgatados em gaiolas — Foto: Polícia Militar Ambiental
Animais foram resgatados em gaiolas — Foto: Polícia Militar Ambiental

Ainda de acordo com o militar, os pássaros eram mantidos com pouca comida e a água não estava em condições adequadas. “A água estava imprópria para consumo, as gaiolas todas sujas, e localizamos dois pássaros mortos porque estavam no sol. Isso por si só já configura maus tratos”.

Os animais serão avaliados e vão passar por tratamento. Quando recuperados, serão devolvidos à natureza.

O suspeito não quis falar com a reportagem. Além de multa de 135.845,193, ele deve responder pelos crimes de cativeiro ilegal e maus tratos com agravante dos óbitos.

Por Nátila Gomes

Fonte: g1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.