Polícia vai multar igreja em R$ 6 mil por ferir pombos

Polícia vai multar igreja em R$ 6 mil por ferir pombos

SP santabarbara dsc02439-256586

A PM (Polícia Militar) Ambiental vai aplicar multa de R$ 6 mil à Igreja do Evangelho Quadrangular, no bairro Nova Americana, em Americana, SP, por causa de ferimentos causados nas patas e asas de dois pombos que ficaram presos em uma cola usada para afugentar as aves.

O produto foi aplicado em volta de todo o muro do templo, como constatou a polícia anteontem à tarde. Penas ficaram presas na cola.

A informação é do tenente Fábio da Nóbrega, comandante do 1º Pelotão da PM Ambiental de Campinas, que abrange a cidade. A PM Ambiental de Americana constatou ferimentos em dois pombos, anteontem, e vai aplicar multa de R$ 3 mil por cada pombo ferido.

O tenente informou que já teve acesso ao boletim de ocorrência, às fotos e ao laudo do veterinário do Zoo Americana. Vizinhos disseram aos policiais que 15 aves ficaram presas na cola, se debateram, conseguiram se desvencilhar e acabaram feridas. A PM Ambiental vai apurar se a cola continha produto tóxico que poderia matar as aves, informou o tenente Nóbrega.

Segundo o tenente, será feita uma nova diligência para tentar contatar o responsável pela igreja para fazer a autuação. Normalmente, o prazo é de 60 dias para agendamento ambiental, uma primeira reunião para ouvir o acusado.

A partir da conversa podem ser aplicados descontos na multa. No caso de maus-tratos a aves, o crime é considerado grave. Em quatro anos na corporação, o tenente disse que nunca obteve informação sobre emprego de cola para afugentar pombos.

SEM INTENÇÃO

O pastor do templo, Washington de Campos, informou que a igreja contratou uma empresa para aplicar o produto para afugentar os pombos. No descritivo do produto há especificação técnica, forma de aplicação e componentes.

“A orientação passada era para afugentar e não para matar os pombos”, disse o pastor. Por causa da sujeira, o templo teve de usar mais água para fazer a limpeza. As aves podem causar doenças.

“A igreja, em hipótese alguma, vai caminhar no sentido de inverter a moral e subverter a legislação”, explicou o pastor. Disse que aguarda a notificação da Polícia Ambiental para dar as explicações sobre o incidente.

SANTA BÁRBARA

Com relação a instalação de arames pontiagudos na Igreja Matriz de Santa Bárbara d’Oeste, o tenente também já recebeu o boletim de ocorrência e o relatório da PM ambiental da cidade. “Em princípio, como não teve animal machucado, não fizemos autuação”, explicou. Contudo, os dados serão encaminhados ao Ministério Público para apreciação. O Comdema (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente) ainda não se reuniu e, portanto, ainda não foi elaborado o relatório sobre os riscos do arame para as aves.

Fonte: Todo Dia

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.