Policiais militares resgatam e acolhem cachorro que era vítima de maus-tratos em Crato, CE

Policiais militares resgatam e acolhem cachorro que era vítima de maus-tratos em Crato, CE
Foto: Divulgação / SSPDS

Na época, ele vivia em situação de maus-tratos, onde era negligenciado pelos antigos tutores com frequência. Quando a Associação Defensora dos Animais Carentes (Adac) o resgatou, ele pesava cerca de 10 kg, estava bastante desnutrido e com anemia profunda.

Com o devido acompanhamento dos cuidadores do abrigo, Baruk ganhou peso, se recuperou da anemia e foi acolhido pelo quartel dez semanas após o resgate.

Foto: Divulgação / SSPDS

De acordo com os policiais militares da 3ª Companhia do 2º Batalhão da PMCE, em Crato (CE), o nome do pit bull tem origem hebraica e remete às qualidades de ‘bem-aventurado’ e ‘feliz’ – características natas do novo mascote da corporação!

Os PM’s contam que o tratamento para salvar a vida do cachorro foi como uma maratona. Ao tomarem conhecimento da história de Baruk, eles se dispuseram para ajudá-lo com insumos e também para adotá-lo quando recebesse alta.

Agora que é residente do quartel, o pit bull recebe muito amor e carinho todos os dias, além de um fardamento exclusivo para auxiliar nos trabalhos policiais de Crato e da região do Cariri, servindo a população cearense.

Foto: Divulgação / SSPDS

Para Genaíza Alencar, cabo da Polícia Militar, o processo de adoção do cachorro foi natural. “Nos apaixonamos por ele assim que soubemos da sua história. Hoje, ele ainda está no período de adaptação, mas é super dócil e se dá bem com todos”, contou.

Já Mariângela Bandeira, fundadora e voluntária da ONG, ressaltou a importância de priorizar a adoção dos animais. “O resgate do Baruk serve como exemplo de que é possível ter uma nova vida, com novas pessoas. Seguimos fazendo esse tipo de trabalho para que as pessoas que maltratam animais sejam punidas e, para incentivarmos também, a adoção dos animais”, concluiu.

Por Gabriel Pietro

Fonte: Razões Para Acreditar

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.