Policial dos EUA é filmado agredindo seu próprio ‘cão policial’ e pede demissão antes de ser exonerado

Policial dos EUA é filmado agredindo seu próprio ‘cão policial’ e pede demissão antes de ser exonerado
O polical norte-americano de Salisbury, James Hampton, é visto agredindo seu próprio cão policial em uma gravação que foi vazada. (Imagens retiradas do vídeo © YouTube / FOX 46 Charlotte)

Um policial da Carolina do Norte, nos EUA, que foi visto em uma gravação que se tornou viral ao agredir seu próprio cão policial, deixou a polícia, e pediu demissão por decisão própria após o departamento ter dado entrada no processo para demiti-lo.

O policial James Hampton, da Polícia de Salisbury, pediu demissão na última semana de março devido ao vídeo controverso, disse o departamento em uma declaração no último dia 31, e declarou que já tinha recomendado sua demissão após uma avaliação interna desse vídeo, que mostra Hampton agredindo seu cão policial, Zuul.

“No esforço de restaurar e manter a confiança pública que foi prejudicada por este incidente, o Departamento de Polícia de Salisbury gostaria de compartilhar que o policial James Hampton era o adestrador de Zuul, e foi o policial que o vídeo mostrou disciplinando Zuul de forma inapropriada”, a declaração disse.

“Uma revisão do Departamento de Polícia determinou que Hampton agiu de maneira extremamente inconsistente com seu treinamento canino e violou a política deste departamento. Como resultado, ele foi recomendado para demissão”.

O departamento prosseguiu dizendo que Hampton deixou seu emprego antes de qualquer ação disciplinar formal, e acrescentou que, embora compreendesse a revolta pública com o pedido de sua demissão, era necessário pelos regulamentos do governo que o policial recebesse o processo correto para garantir “a justiça para todos os envolvidos”.

Obtido por uma afiliada local da Fox no começo de março, o vídeo controverso mostra Hampton, um treinador de cães policiais, erguendo Zuul por cima de seu ombro pela guia, e batendo o animal contra a lateral da sua viatura, e pareceu agredi-lo pelo menos uma vez depois de tê-lo empurrado para dentro.

Em um ponto no vídeo, alguém na cena diz “Estamos bem, sem testemunhas”, enquanto Hampton arrasta à força o cão de quatro anos de idade para dentro de seu veículo, aparentemente acreditando que ele não estava sendo filmado. Outras vozes no vídeo, supostamente de outros policiais, também são ouvidas dizendo “Sua câmera está ligada?”, e outra voz responde, “Não, a bateria acabou”. Outra voz então é ouvida dizendo “Eu acho que a minha está ligada. Você consegue desligar minha câmera?”.

Nenhum dos homens fazem objeção ao tratamento agressivo de Hampton para o animal.

O vídeo gerou intensa revolta online, e alguns usuários imploraram que a grande mídia mostre ao mundo para chamar atenção sobre a história para “fazer com que esse policial seja demitido” antes que ele mesmo pedisse demissão.

O grupo ativista de direitos dos animais PETA também falou sobre a publicação, e argumentou que Hampton deve ter violado a lei estadual que proíbe maus-tratos a animais.

“Os cães sempre fazem o possível para nos agradar e entender o que se pede a eles, e são extremamente leais”, disse o grupo. “A crueldade infligida contra o cão no vídeo é uma violação dessa confiança e, o PETA acredita, da lei da Carolina do Norte”.

O PETA também falou que, enquanto a polícia disse que Zuul foi avaliado por um veterinário no dia 4 de março e estava “saudável”, o vídeo em questão foi supostamente filmado meses antes de isso ter chegado ao público, e sugeriu que o cão não recebeu o atendimento apropriado logo em seguida ao incidente.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: RT

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.