Pia Carpelan / EyeEm/Getty Images

Pombos estão a perder dedos devido a cabelos humanos

Pombos com patas mutiladas são uma visão comum nas cidades e, segundo um estudo feito por investigadores franceses, o cabelo humano é o grande motivo por trás do fenómeno. Quanto mais cabeleireiros há num quarteirão, mais perigoso é para os pombos, aponta a investigação.

Esta não é a primeira explicação encontrada para a falta de dedos nas patas dos pombos. Até agora, a explicação mais generalizada era de que estas aves sofrem de infeções nas patas devido aos seus próprios excrementos, e que o próprio meio ambiente as torna propensas a apanhar doenças infeciosas.

Os especialistas notaram, no entanto, que os pombos geralmente têm fios de cabelo enrolados nas patas. Levantou-se a hipótese de que os cabelos podem levar ao aperto, corte da circulação e morte de tecidos, resultando consequentemente na queda dos dedos.

Foi registada a ocorrência e a extensão das mutilações das patas dos pombos em 46 locais diferentes da cidade de Paris. Verificou-se que os pombos tinham mais tendência a sofrer uma mutilação nos bairros onde a poluição era elevada e onde vivia um maior número de pessoas. Além disso, verificou-se que, quanto maior o número de cabeleireiros na zona, maior era a hipótese de os pombos perderem dedos. O estudo descobriu ainda que a idade dos pombos não é indicadora do seu nível de saúde.

“Os cabelos caídos dos cabeleireiros são removidos pelos serviços de recolha de lixo juntamente com resíduos domésticos e, durante esse processo, alguns resíduos de cabelos terminam na beira da estrada e nas calçadas”, pode ler-se no artigo científico. Se as aves não forem capazes de se desembaraçar, os cabelos começam a apodrecer nos dedos, causando o chamado “pé de corda”.

O estudo conclui também que a existência de espaços verdes nas cidades consegue proteger os pombos.

Fonte: Visão / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.