Populares flagram cavalo com sinais de maus-tratos em via pública em Araguari, MG

Populares flagram cavalo com sinais de maus-tratos em via pública em Araguari, MG
No momento da abordagem foi constatado que o equino estava sem ferraduras utilizadas para proteger os cascos (Foto: Reprodução Internet)

Na última terça-feira, 13, mais um caso de maus-tratos a animais foi presenciado em Araguari. Um equino muito magro e com ferimentos pelo corpo foi visto conduzindo uma carroça pelo bairro Amorim. Ao reconhecer o responsável pelo animal, Jander Patrocínio (PSB) recém-eleito vereador, o abordou e decidiu orienta-lo.

O homem identificado como Renato reside no bairro Novo Horizonte e é conhecido por se envolver em outras infrações relacionadas aos maus-tratos a equinos e muares, além de direção perigosa, descarte de materiais e entulho em local público e outras ocorrências registradas pela Polícia Militar de Meio Ambiente.

“Estamos acompanhando a situação deste animal e as práticas de seu proprietário há algum tempo. O homem não tem nenhum tipo de cuidado com este cavalo que possui sinais e marcas nos joelhos devido à sobrecarga de peso, sem contar que o mesmo está visivelmente fraco por falta de cuidados e alimentação adequada,” disse.

Conforme ressaltou, no momento da abordagem foi constatado também que o equino estava sem ferragem ou ferraduras utilizadas para proteger os cascos. O desgaste do casco devido ao atrito com o solo pode causar lesões profundas nas patas do animal. Diante disso, na tentativa de solucionar o problema, foi solicitado ao homem que tome as providências necessárias para garantir a saúde do animal. “Vamos continuar acompanhando e caso o problema permaneça, pretendemos recolher o animal com apoio judicial para que receba os devidos cuidados,” afirmou.

Os casos envolvendo Renato têm sido amplamente discutidos nas redes sociais. No sábado, dia 10, por exemplo, populares afirmaram que ele foi visto agredindo com chicotadas uma égua nas proximidades de um supermercado, no bairro Amorim. A informação repassada por populares é de que os animais são de propriedade de seu padrasto, que autoriza o mesmo a utilizar os equinos em seus trabalhos.

A APROAMA também tenta há quatro anos tirar o mesmo de circulação, visando garantir sua segurança, além de impedir que cometa outras infrações, entretanto, nada foi feito. Segundo informações da diretoria, dezenas de denúncias foram feitas junto a Polícia de Meio Ambiente e também ao Ministério Público.

Em abril de 2015, um ofício chegou a ser encaminhado à promotora de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Araguari, Lilian Tobias que havia garantido a tomada de providências e a soma de esforços dos poderes constituídos para coibir estes casos que diariamente são delatados na rede social da associação.

Fonte: Gazeta do Triângulo 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.