Por Miska e outros cães judiados, grupo protesta por leis mais duras para maus-tratos a animais

Por Miska e outros cães judiados, grupo protesta por leis mais duras para maus-tratos a animais

Após a trágica morte da cadela Miska, espancada após revirar lixo de uma residência no Jardim Panamá, protetores de animais organizam protesto para chamar a atenção das autoridades em Campo Grande. A luta é por leis mais severas e evitar que outros cães sejam dizimados na cidade.

O organizador da mobilização, Alexandre Santos, 37 anos, conhecido como ”Xandão Protetor de Animais”, se revoltou com o caso de Miska, agredida a pauladas na mandíbula por uma moradora do Jardim Panamá. Ela foi socorrida por membros da ONG Abrigo dos Bichos, mas morreu dois dias depois, internada em uma clínica veterinária.  

”Perguntei quem estaria a fim [do protesto] e a adesão foi muito boa. Amigos da causa animal abraçaram a ideia”, celebrou Xandão. O evento está marcado para o dia 19 de janeiro, às 15h, no Posto Tereré, em frente ao Shopping Campo Grande.

Ativista quer evitar mais mortes de animais. (Foto: Reprodução Facebook)

”Queremos chamar a atenção dos políticos, deputados estaduais, federais e senadores, porque hoje os agressores sabem que o crime [de maus-tratos] é de menor potencial e sabem que, mesmo se forem presos em flagrante, vão responder em liberdade”, lamenta o ativista Alexandre.

”Esse protesto é para que outras Miskas e outras Manchinhas não sejam torturadas”, detalhou Xandão. Ele também destaca que seria interessante que Campo Grande desse o ”pontapé inicial” para ser referência na causa animal.

O contato para informações sobre a mobilização é: (67) 9 9351-7378.

Por Thiago Souza 

Fonte: Topmídia News 

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.