Por que cães grandes não vivem tanto quanto os pequenos? Estudo responde

Por que cães grandes não vivem tanto quanto os pequenos? Estudo responde
Pesquisadores explicam por que cães maiores possuem uma expectativa de vida mais curta em comparação com cachorros menores — Foto: Pexels/ Matthias Zomer/ Creative Commons

Diversos estudos já buscaram justificar o motivo pelo qual a expectativa dos cães maiores é inferior a dos menores, apontando fatores como taxa metabólica, tamanho do corpo, risco de doenças e outros problemas de saúde.

No mais recente deles, publicado no periódico American Naturalist, cientistas da Universidade de Adelaide, na Austrália, descobriram que a reprodução seletiva para o tamanho tornou as raças grandes mais suscetíveis ao câncer.

Para chegar a tal resultado, os pesquisadores examinaram as causas das diferenças no tempo de vida de 164 raças.

Quando analisaram esse conjunto de dados, descobriram que cães maiores tinham maior probabilidade de morrer de câncer em uma idade mais jovem quando comparados com animais de porte médio e pequeno. Ou seja, à medida que o peso corporal médio da raça aumentava, também aumentava a incidência da doença.

O chihuahua é a menor raça do planeta e também a que possui maior expectativa de vida — Foto: Unsplash/ Alicia Gauthier/ Creative Commons
O chihuahua é a menor raça do planeta e também a que possui maior expectativa de vida — Foto: Unsplash/ Alicia Gauthier/ Creative Commons

A hipótese dos cientistas é que a relação entre o tamanho do corpo de um cão e sua expectativa de vida pode ser causada por um atraso evolutivo nas suas defesas contra o câncer, que são incapazes de acompanhar a rápida e recente reprodução seletiva de cães de porte grande. Essa é uma teoria conhecida ‘soma descartável’ e desenvolvida por Thomas Kirkwood.

De acordo com o artigo, essa teoria se baseia na ideia de que, se você investir a maioria de seus recursos e energia em crescimento e reprodução, não poderá empregá-los também no reparo celular e nas defesas contra o câncer. Os resultados da pesquisa podem ser úteis para os estudos sobre o envelhecimento em humanos.

Em um estudo anterior publicado no livro The Handbook of the Biology of Aging e desenvolvido nas Universidades de Michigan e do Texas, cientistas já haviam apontado que as diferenças na longevidade entre raças de cães estão relacionadas às diferenças na taxa de envelhecimento, que levam a múltiplas condições degenerativas. Eles constaram que outras doenças também aparecem mais cedo em raças maiores em comparação com as menores.

Fonte: Vida de Bicho

Você faz questão de um cão de raça? Pense duas vezes…