Por uma lei que proíba uso de cavalos nas carroças e charretes

Por uma lei que proíba uso de cavalos nas carroças e charretes
Protetores buscam erradicar o uso de equinos para puxar nas carroças e charretes em Venâncio (Foto: Alvaro Pegoraro / Arquivo FM)

Recentes casos de maus-tratos a cavalos em Venâncio Aires, RS, vem mobilizando inúmeras pessoas nas redes sociais e também a Organização Não-Governamental Amigo Bicho, assim como o Conselho Municipal de Proteção Animal. Os protetores querem uma lei afim de evitar que animais responsáveis por puxar carroças e charretes pela cidade sigam sendo explorados e, em muitos casos, sofrendo, puxando cargas pesadas, na chuva e sol, mal alimentados e sendo chicoteados.

O projeto de iniciativa popular, que ainda será formulado, será apresentado aos novos administradores e legisladores do Município. Nos próximos dias um encontro dos protetores será realizado para discutir e chegar a um avanço no assunto, com possíveis multas, punições e regras. ‘O problema precisa ser erradicado, amenizando na raiz. Os charreteiros usam o pobre bicho até ele perder toda a sua energia. Se tivéssemos uma legislação específica que regulamentasse e aplicasse multas teríamos um grande avanço no município’, destaca a voluntária da Amigo Bicho, Alessandra Ludwig. Ela ainda salienta que de todos os casos, nesta situação, atendidos pela ONG até hoje, sete animais já vieram a óbito. ‘Quando acontecem esses casos nós da ONG somos cobradas por não poder fazer mais, por uma responsabilidade que não é nossa, mas sim do Poder Público.’

Santa Cruz sanciona Lei

De autoria do vereador Gerson Trevisan (PSDB), a Lei que proíbe a circulação de veículos de tração animal na zona urbana, sancionada semana passada pelo prefeito Telmo Kirst, prevê a retirada gradual das carroças. Em até quatro anos não poderão mais circular no Centro e em até nove anos não poderão mais circular em todo o perímetro urbano – à exceção de eventos tradicionalistas e atividades, públicas ou privadas, como haras, turfe, hipismo, equoterapia e cavalgadas.

Também fica permitido o uso desses veículos por forças de segurança que tenham grupamentos de montaria. A lei estipula também que, em um prazo de quatro anos, o Município faça o cadastro dos atuais condutores de veículos de tração animal e elabore políticas públicas para garantir a colocação dessas pessoas no mercado de trabalho.

A preocupação dos protetores envolve a situação econômica dos trabalhadores, como catadores. Em Santa Cruz, o projeto ‘Cavalo de Lata’ visa a substituição das carroças por carrinhos elétricos, recarregáveis na luz, com capacidade para 500 quilos. O Projeto, de forma voluntária e apartidária, o encaminhamento de

Cavalo de Lata, projeto criado em Santa Cruz, visa substituir a tração animal por um veículo elétrico (Foto: Divulgação) 
Cavalo de Lata, projeto criado em Santa Cruz, visa substituir a tração animal por um veículo elétrico (Foto: Divulgação)

carroceiros independentes para o mercado de trabalho formal. Ao mesmo tempo faz o atendimento e o encaminhamento dos cavalos que sofreram maus tratos por uso em carroças para chácaras previamente cadastradas pela equipe para sua total aposentadoria.

Casos de maus-tratos em Venâncio

Na semana passada, na manhã do feriado, 2 de novembro, a ONG Amigo Bicho foi acionada para o resgate de um cavalo nas proximidades da Escola 11 de Maio, no bairro Coronel Brito. Ao chegar no local se depararam com o animal caído, bem debilitado, sendo que não comia nem bebia água. Na ocasião, as voluntárias receberam a informação de quem seria o possível tutor. Ao localizá-lo, o mesmo lhes informou que havia adquirido o animal, já doente e debilitado e estava tentando o ajudar, com soro e pasta de vermes. A ONG se solidarizou com ocaso e ofereceu auxílio veterinário, no entanto, o equino não resistiu e veio a óbito na manhã de quinta-feira.

Um outro caso que chocou a população ocrreu em fevereiro deste ano quando uma égua foi abandonada em Linha Sapé porque já não tinha mais forças para seguir adiante.

Cavalo encontrado semana passada no Coronel brito estava bastante debilitado e não resistiu (Foto: Divulgação / Amigo Bicho)
Cavalo encontrado semana passada no Coronel brito estava bastante debilitado e não resistiu (Foto: Divulgação / Amigo Bicho)

Por: Vanessa Behling 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.