Porca que passou 12 anos em cercado minúsculo finalmente encontra alguém que a ama

Porca que passou 12 anos em cercado minúsculo finalmente encontra alguém que a ama
Foto: Geoff Ambler

Edna, a porca, veio de uma negligência tão severa que é um milagre ela ainda estar viva.

Fotos: Where Pigs Fly

Por mais de 12 anos, Edna viveu em um cercado pequeno com sua irmã em uma residência particular na Austrália, de acordo com Deborah Pearce, fundadora do Where Pigs Fly, o santuário para onde Edna finalmente foi. Edna e sua irmã costumavam ter um quintal para caminhar, mas quando a cerca quebrou, os donos as mantiveram fechadas em um cercado.

O cercado onde Edna vivia com sua irmã

“O cercado era lamacento”, Pearce contou ao The Dodo. “Mesmo depois de uma chuva rápida, o chão sujo acumulava água por dias e dias. Isto era um problema contínuo – cada vez que chovia, fazia poça. Devido ao confinamento, os músculos de suas pernas estavam fracos e causavam dor para ela ficar de pé”.

Quando seus donos resolveram se mudar, eles decidiram não levar a Edna e sua irmã. Eles nem ao menos tentaram encontrar outra família para adotar os porcos – eles simplesmente as deixaram no cercado.

“Eles não as queriam mais”, Pearce disse. “A família mudou de estado e deixou as porcas para trás”.

Então o pior aconteceu – a irmã de Edna morreu porque ela não estava conseguindo comida e água suficientes. Edna agora estava sozinha no cercado, e ela ficou assim por cerca de seis meses, disse Pearce.

Os vizinhos alimentavam Edna com frutas e vegetais frescos sempre que eles podiam, e até mesmo limpavam seu cercado. Mas eles sabiam que Edna precisava sair de lá – e bem depressa – para que ela sobrevivesse.

Eles entraram em contato com Pearce e perguntaram se poderiam levar Edna ao santuário. É claro que ela respondeu “Sim”.

Fotos: Veronica Rios

Edna agora tem 13 anos de idade. Tendo vivido em condições tão deploráveis, ela demorou um tempo até se adaptar à sua nova liberdade no santuário.

“Ela era emocionalmente fechada quando chegou”, explicou Pearce. “Ela cavou um buraco e raramente se mexia durante semanas. Ela estava com medo”.

Pouco a pouco, Edna emergiu de sua concha. “Ela se tornou mais curiosa e menos assustada”, disse Pearce. “Ela se aventuraria cada vez mais longe. Nós passamos bastante tempo com ela ajudando-a a se recuperar”.

A coisa mais incrível para Pearce é que Edna ainda ama as pessoas, apesar de tudo que ela já passou.

“Ela sorri bastante”, disse Pearce. “Nós passamos muito tempo sentados e conversando com ela e abraçando-a. Seus roncos e grunhidos de contentamento são alguns dos nossos sons favoritos no santuário”.

Foto: Geoff Ambler

“Suas atividades favoritas são passar o tempo com os amigos humanos e animais que ela fez”, Pearce acrescentou. “Uma galinha em particular é uma ótima companheira. Ela ama melancia e peras e se molhar com a mangueira”.

Edna e sua melhor amiga, a galinha (Imagens: Veronica Rios)

Agora Pearce nem consegue imaginar uma vida sem Edna. Na realidade, ela considera Edna um dos seus melhores amigos.

“Quando eu olho dentro dos olhos de Edna, há alguém me olhando de volta”, Pearce disse. “Nós temos um laço muito próximo. Que alma maravilhosa e gentil – suas expressões de contentamento e alegria são incrivelmente contagiantes. Ela realmente colocou seu terrível passado para trás, e agora está amando sua nova vida. Sua transformação foi uma alegria enorme de ser testemunhada – uma que eu jamais esquecerei”.

Para ajudar a dar a Edna a melhor aposentadoria, e ajudar o santuário a resgatar mais animais de fazenda de situações de negligência, você pode fazer uma doação aqui.

Por Elizabeth Claire Alberts / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: The Dodo 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.