Porco que perdeu suas orelhas em um ataque não parou de sorrir desde que ele chegou em casa

Porco que perdeu suas orelhas em um ataque não parou de sorrir desde que ele chegou em casa

Por Christian Cotroneo / Tradução de Alice Wehrle Gomide

O marcante em Rex é que ele ama cães tanto quanto ele ama pessoas.

Então quando o porquinho vietnamita cruzou com um par de cães grandes enquanto passeava perto de seu quintal na Columbia Britânica, no Canadá, em julho, ele fez o que era natural para ele – e foi correndo em direção aos cães.

Não deu muito certo.

Sua tutora, Dayna Denman, recebeu uma ligação naquele dia de seu vizinho. Rex tinha sido atacado gravemente.

“Ele foi encontrado deitado e sangrando muito no meio do arbusto espesso pelo meu vizinho que tinha levado umas cobertas e se sentado com ele até que eu chegasse lá”, Denman escreveu no seu post no Facebook.

Denman correu até o local. Apesar de sua grave condição, Rex conseguiu se mexer quando ele ouviu sua voz.

Levado às pressas para o hospital, Rex começou sua longa jornada para a recuperação.

Ao longo do caminho, o porco, que era uma figura popular na comunidade, teve um monte de amigos torcendo por ele. Muitos deles ajudaram a pagar suas contas médicas crescentes.

Os veterinários não puderam salvar as orelhas de Rex, apesar de sua audição ter ficado intacta. E aquele sorriso que era sua marca registrada voltou rapidamente.

Talvez até um pouco mais brilhante que antes.

Talvez seja pelo fato de como ele tem sido mimado desde seu acidente.

E estamos falando de um bocado de iogurte dado em sua boca.

Passeios de carro com cenouras à disposição.

Pedicures.

Banhos eternos de lama. 

Passeios de carrinho.

E todos os confortos do lar.

E os cães? Mesmo depois de seu encontro quase fatal, Rex não demonstra nada desfavorável contra essa espécie. Na realidade, alguns de seus melhores amigos são caninos.

Seja bem-vindo em casa, pequeno.

Você pode seguir as aventuras de Rex, também chamado de “Porco com Coração de Leão” agora – por razões óbvias – no Instagram e no Facebook.

Fonte: The Dodo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.