Porcos que viviam em estábulo com fezes e lama ganham uma nova vida nos EUA

Porcos que viviam em estábulo com fezes e lama ganham uma nova vida nos EUA

“Eles mantinham suas cabeças nas costas uns dos outros para que não se afogassem quando fossem dormir”

O estábulo estreito estava cheio de água de chuva lamacenta e lixo, e quatro porcos aterrorizados estavam presos dentro.

“O dono alegou que pagava alguém para ir e checar os animais, mas com base nas condições em que eles foram encontrados e nas condições de seus corpos, isso não era verdade”, Todd Friedman, fundador do Arthur’s Acres Animal Sanctuary, um novo refúgio em Hudson Valley, Nova York, contou ao The Dodo.

Não somente seu estábulo estava cheio do líquido imundo, mas os porcos não tinham comida nem água fresca, e nenhuma forma de sair do local horroroso.

“Eles mantinham suas cabeças nas costas uns dos outros para que não se afogassem quando fossem dormir”, disse Friedman. “Era uma situação muito, muito ruim”.

“Eu faço resgates há mais de quatro anos, e nunca tinha visto algo nem semelhante a isto”, Friedman acrescentou. “Eles estavam completamente emaciados. Suas colunas eram visíveis. Pelas fotos, todo mundo achou que eles estavam mortos”.

Os porcos certamente teriam morrido se tivessem ficado mais tempo naquele estábulo. Mas no começo de outubro, um vizinho preocupado os descobriu e entrou imediatamente em contato com a SPCA, que retirou os animais da propriedade. Depois disso, a organização Southern NY Pig Rescue ficou responsável pelos animais por um tempo antes de as três fêmeas, agora chamadas de Katniss, Rue e Prim, serem transferidas para o Arthur’s Acre Animal Sanctuary.

Friedman e a equipe do Arthur’s Acre estão fazendo tudo que podem para ajudar Katniss, Rue e Prim a ficarem saudáveis e fortes, mas não conseguem convencê-las de que não irão mais passar fome de novo.

“Elas estão sempre famintas, e não deveriam estar famintas, porque comeram há duas horas”, Friedman disse. “Elas ganham abóboras durante o dia, ganham grãos à noite, grãos de manhã, e ganham amendoim, grãos e petiscos durante o dia. Mas quando você vai alimentá-las, elas parecem não saber quando será sua próxima refeição”.

Elas também precisaram de um tempo para se acostumarem com carinho.

“Elas estavam definitivamente arredias”, Friedman disse. “Elas nunca ficavam bravas ou agressivas, mas não entendiam um carinho, ou uma coçada na barriga. No começo, ficavam confusas, como se dissessem “Por que você está me tocando?”.”

Mas as porcas aprenderam a apreciar os carinhos e coçadas que ganhavam de Friedman e dos voluntários, e até mesmo começaram a pedir carinho.

“Elas são simplesmente porcas patetas e adoráveis, e inteligentes”, Friedman disse. “Me seguem onde quer que eu vá. Eu ando todo dia pelo pasto, e elas estão bem atrás de mim, caminhando comigo. Estão sempre felizes, o que é incrível vindo da situação de onde elas vieram”.

Fotos: Arthur’s Acre Animal Sanctuary

Katniss, Rue e Prim já passaram por muita coisa, mas estão aprendendo a confiar nas pessoas de novo, e Friedman prometeu às três porcas que elas estarão seguras e serão amadas pelo resto de suas vidas.

“Meu objetivo é resgatar animais de situações horríveis e garantir que eu os compense por isso a cada dia, para que eles não sofram nunca mais”, Friedman disse. “Preciso assegurar que eu as compense por cada minuto que elas passaram naquela água”.

Para ajudar a fornecer o tratamento veterinário de Katniss, Rue e Prim, e para resgatar outros animais de fazenda como elas, você pode fazer uma doação para o Arthur’s Acre Animal Sanctuary.

Por Elizabeth Claire Alberts / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: The Dodo