Porque esta foto chocante de duas raposas te inspirará a defender o planeta

Porque esta foto chocante de duas raposas te inspirará a defender o planeta

Por Latrice Harrison / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Uma foto tirada por Don Gutoski, intitulada A Tale of Two Foxes (Um Conto de Duas Raposas), ganhou o prêmio de melhor fotografia da vida selvagem. A competição anual, patrocinada pelo Museu de História Natural de Londres, na Inglaterra, em parceria com a emissora BBC Wildlife, selecionou esta foto de um total de 42.000 inscritas por causa do forte declaração que esta faz sobre a mudança climática. O membro do júri Kathy Moran escreve, “O que simplesmente poderia ser uma interação direta entre predador e presa atingiu o júri como um exemplo gritante da mudança climática, com raposas vermelhas invadindo o território das raposas árticas”.

A foto foi tirada no Parque Nacional Wapusk, em Manitoba, no Canadá, onde a diminuição das camadas de gelo traz más notícias para tudo o que vive lá. Animais que raramente interagiriam antes, agora são forçados a terem contato um com o outro, competindo pelos limitados recursos. A raposa ártica, cujo magnífico casaco branco já lhe proporcionou uma boa camuflagem para caçar em um grande território de neve, agora está caçando em lamaçais, onde seus casacos acabam chamando atenção. Elas estão pobremente adaptadas a este novo ambiente e agora estão se transformando nas vítimas da melhor adaptada raposa vermelha, que está seguindo o clima ameno cada vez mais ao sul.

O fotógrafo descreve sua experiência. “De uma certa distância, Don pôde ver que a raposa vermelha estava perseguindo algo pela neve. Conforme ele chegou perto, ele viu que a presa, agora morta, era uma raposa ártica… Na tundra canadense, o aquecimento global está alargando o território das raposas vermelhas ao norte, onde elas cada vez mais cruzam caminhos com seus parentes menores, a raposa ártica. Para as raposas árticas, as raposas vermelhas agora representam seu principal competidor – ambas caçam animais pequenos como lêmingues – mas também seu principal predador. Poucas mortes reais por raposas vermelhas foram testemunhadas até agora, mas é bem provável que os conflitos entre os dois mamíferos se tornem mais comuns”.

Apesar da dura realidade que esta foto descreve, é incrivelmente difícil desviar o olhar. A beleza pura dessas duas criaturas que evoluíram através de centenas de anos para prosperarem em seus próprios ecossistemas nativos, reduzida a este grotesco e aberrante estado é somente um exemplo de como a mudança climática já alterou as vidas de muitas espécies.

A dura realidade é que conforme nós jogamos mais e mais emissões de gases de efeito estufa na atmosfera, estamos acrescentando mais calor e energia dentro do sistema climático, o que está causando extremas flutuações nas temperaturas globais. Atualmente há mais dióxido de carbono na atmosfera do que já houve nos últimos 800.000 anos e, de acordo com a NASA, o mundo já ficou três graus mais quente somente nas últimas centenas de anos. Todo este calor extra está derretendo as geleiras a uma surpreendente velocidade de 8,8 milhões de acres por ano.

O que podemos fazer sobre isto?

Sabendo o que sabemos sobre o impacto da mudança climática, pode ser fácil se sentir inútil, ou que este é um problema muito grande para conseguirmos mudar algo. Isto, entretanto, não é o caso. Enquanto as emissões de carbono das grandes indústrias como as de carvão e óleo precisam ser reguladas, como indivíduo você tem uma incrível oportunidade de começar a reduzir seu rastro carbônico. As pessoas estão fazendo pequenas mudanças todos os dias, escolhendo caminhar ou ir de bicicleta ao invés de dirigir, procurando lixeiras recicláveis para seu lixo plástico, e até mesmo tomando consciência sobre o impacto em suas escolhas de consumo. Continuando com este tema de fazer pequenas coisas, há ainda outra solução que pode causar um enorme impacto positivo no planeta – e, pode ser até a mais fácil: mudar o seu jeito de se alimentar.

Todos nós temos a chance de diminuir nosso rastro pessoal de carbono cada vez que nos sentamos para uma refeição. Optando comer menos carne e laticínios em favor de alternativas à base de vegetais, você pode literalmente diminuir pela metade seu rastro carbônico – sim, pela metade!

E qual o motivo disso? Bem, um dos maiores responsáveis pelas emissões de gases de efeito estuda é a pecuária. A United Nations Food and Agriculture Organization (FAO – Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) estima que a produção de gado seja responsável por 14,5 por cento das emissões globais de gases de efeito estufa, enquanto outras organizações como o Instituto Worldwatch estimaram que, na realidade, pode ser até 51 por cento.

A pecuária não é somente responsável por exorbitantes emissões de gases de efeito estufa, esta indústria destrutiva atualmente ocupa mais da metade das terras produtivas do mundo e usa a maior parte da nossa água fresca. O site One Green Planet acredita que nosso sistema global de alimentação dominada pela pecuária industrial é o coração da nossa crise ambiental, já que este sistema também causa enorme poluição no ar e na água, degradação da terra, desmatamento – e está levando incontáveis espécies ao limiar da extinção. E mesmo assim, uma entre oito pessoas ainda sofre com a escassez de alimentos.

“A verdadeira guerra contra o clima está ocorrendo em nossos pratos, múltiplas vezes ao dia com cada escolha alimentar que fazemos“, diz Nil Zacharias, cofundador e editor-chefe do One Green Planet, “um dos maiores desafios que nosso planeta e nossa espécie estão enfrentando é que nós estamos conscientemente nos devorando até a extinção, e fazendo quase nada sobre isso”.

Como uma das organizações líderes na frente deste movimento para o consumo consciente, a visão do One Green Planet é que nossas escolhas alimentares possuem o poder de curar nosso sistema alimentar quebrado, dar às espécies uma chance de lutar pela sobrevivência, e pavimentar o caminho para um futuro realmente sustentável.

Ao escolher comer mais alimentos à base de vegetais, você pode drasticamente diminuir seu rastro carbônico, salvar preciosas fontes de água e ajudar a garantir que recursos vitais de plantações sejam fornecidos como alimento para as pessoas, ao invés de gado.

Pelo futuro de espécies que estão em dificuldade, como estas raposas, todos nós precisamos começar a nos alimentar tendo o planeta em mente. Para saber mais sobre como você pode salvar espécies com sua próxima refeição, una-se à campanha do One Green Planet #EatForThePlanet (Coma Pelo Planeta).

Fonte: One Green Planet 

Nota do Olhar Animal: A predação ou o conflito territorial não são mais dramáticos quando causados por mudanças climáticas. Situações como estas ocorrem cotidianamente, mesmo nos ambientes mais preservados e equilibrados. E para os animais vitimados não faz diferença alguma, pois eles sofrem e/ou morrem de forma similar. Se temos condições de minimizar ou evitar este sofrimento, é obrigação moral fazê-lo, sejam quais forem as circunstâncias ambientais. A omissão é moralmente tão grave quanto a ação danosa.

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.