Porte de carne bovina passa a ser punido com até cinco anos de prisão na Índia

Lei estadual de Maharashtra, onde fica a metrópole de Mumbai, é vitória de hindus ortodoxos, que veem animal como sagrado

Provavelmente todo mundo já ouviu falar que indianos veem bovinos como animais sagrados. De fato, em algumas vertentes do hinduísmo isso é uma realidade, que os coloca inclusive em castas acima da mais elevada da sociedade de 1,1 bilhão de pessoas do país, a dos sacerdotes. Entretanto, somente agora uma lei passará a punir aqueles que matarem ou comerem uma vacas/bois de forma realmente aguda. As informações são do da rede de notícias Bloomberg.

Lar de mais de 112 mil de indianos, o Estado de Maharashtra instituiu nesta semana uma lei que passa a banir os matadouros de vacas, búfalos e bois e a própria posse de qualquer derivado de carne bovina com penas que chegam a cinco anos de prisão.

Apesar de ser uma espécie de tabu comer porco ou carne bovina na Índia, a capital de Maharashtra, Mumbai, cidade com mais de 12 milhões de habitantes, possui diversos restaurantes que têm entre as opções de seus cardápios pratos compostos por eses animais.

“Quando o ministro-chefe do Estado anunciou a proibição [na última terça-feira, 3], havia fila de pessoas esperando do lado de fora para comer as carnes que preparo”, afirmou Bruce Rodrigues, proprietário de um pequeno restaurante que vende hambúrgueres e bifes no elegante bairro de Branda. “Alguns clientes chegaram a me perguntar se poderíamos organizar um protesto ou algo assim.”

Além disso, nas ruas das grandes cidades do Estado, comerciantes também vendem todo tipo de carnes de segunda como fígado, rim, língua, que são misturados a arroz e sopa para serem vendidos a comunidades carentes que não podem pagar por produtos mais nobres.

“Este não é um sinal de sociedade madura”, criticou Avinash Raheja, fundadora de um aplicativo sobre estacionamentos em Mumbai. Ela não come carne bovina. “Nós reivindicamos o posto de maior democracia do mundo, mas a democracia só se aplica às causas de um eleitorado específico?”

Motivo de piada nas redes sociais, a lei reforça os princípios do hiduismo, deixando de lado os costumes das minorias muçulmanas e cristãs, segundo o professor Shiv Visvanathan. O fato é que lideranças religiosas fundamentalistas locais celebraram a regra.

“Damos as boas-vindas à decisão do governo de Maharashtra. Esperamos que outros Estados também venham a fazer o mesmo”, resumiu em email Surendra Jain, secretário-geral do Vishwa Hindu Parishad, grupo que exige o fim de privilégios a minorias religiosas e a proibição de matadouros de bovinos na Índia.

Fonte: Último Segundo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.