Porteiro de hospital é indiciado por agressão a filhote de cão; pena pode chegar a 5 anos

Porteiro de hospital é indiciado por agressão a filhote de cão; pena pode chegar a 5 anos
Homem supostamente agredindo o animal / Foto: Divulgação

Um porteiro do Hospital Dom Orione, em Araguaína, TO, foi indiciado nesta quarta-feira (2) por suspeita de agredir um filhote de cão usando um cassetete na frente da unidade de saúde.

Segundo a Polícia Civil, o homem de 37 anos deverá responder pelo crime de maus-tratos contra animal. A pena prevista varia de 2 a 5 anos de reclusão e multa.

A suposta agressão ocorreu no dia 10 de outubro deste ano. A ação do porteiro foi filmada, e as imagens compartilhadas e divulgadas amplamente nas redes sociais.

De acordo com o delegado Luís Gonzaga da Silva Neto, as agressões também foram presenciadas por pessoas que passavam pelo local, sendo uma delas integrante da Associação Protetora dos Animais de Araguaína (APAA).

A mulher pegou o animal em seus braços e o levou para prestar cuidados médicos, tendo em vista que o cachorro estava gemendo de dor e latindo bastante.

Segundo a integrante da APAA, ao questionar o porteiro sobre o porquê das agressões, o mesmo lhe respondeu que “se tivesse achando ruim, que levasse o cachorro para casa”.

Filhote foi adotado

Após ser socorrido e receber o tratamento médico-veterinário adequado, o cachorrinho recebeu o nome de Bob e foi adotado pela policial civil Nilza Nascimento.

Durante a investigação, as equipes da 26ª Delegacia de Polícia Civil foram auxiliadas pela médica veterinária Aline Marinho Machado, de uma clínica local, que prestou assistência ao animal.

Vídeo da ação do porteiro 

Cãozinho Bob ao lado de sua protetora e nova dona / Foto: Arquivo Pessoal

Fonte: AF Notícias

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.