Porteiro para o trânsito para jiboia atravessar avenida com segurança, em Goiânia; vídeo

Porteiro para o trânsito para jiboia atravessar avenida com segurança, em Goiânia; vídeo
Cobra é filmada atravessando avenida, em Goiânia, Goiás — Foto: Arquivo Pessoal/Aélio Souza

O porteiro Aélio Souza de Jesus parou o trânsito de uma avenida, no sábado (8), para que uma jiboia atravessasse a via, em Goiânia. Um vídeo feito por ele mostra a cobra rastejando pela via até chegar do outro lado(assista acima). Ele afirma que que fez isso para que o animal não fosse atropelado.

Vídeo: Cobra é filmada atravesando rua de Goiânia.

“Eu estava de moto e quase passei por cima, não a vi. Minha esposa viu e falou que eu quase atropelei uma cobra. Na hora eu voltei. Ela tinha mais de um metro, eu fiquei lá, parando os carros, até que ela atravessasse sem correr risco de ser atropelada, como eu mesmo quase fiz. Ela passou e caiu em uma vala lateral à avenida”, disse ao G1.

O caso ocorreu na tarde de sábado, na Avenida do Ouro, no Setor Recando das Minas Gerais, na região norte de Goiânia. Conforme relatou o porteiro ao G1, o animal saiu de uma área que está sendo loteada, ao lado do bairro, em direção à área de casas do setor. Ele afirma que, como estava com pressa, só garantiu que a cobra não fosse atropelada.

“Eu pensei em chamar o Corpo de Bombeiros, mas como eu estava bastante atrasado, não consegui. Só quis ter certeza de que ela não fosse atingida por nenhum veículo. Se não me engano, era uma jiboia, pelo que eu vi, mas não tenho certeza. Ela provavelmente estava ali porque a área de mata em que ela estava foi desmatada para um loteamento”, afirmou.

Ao G1, a médica veterinária Mohana Dias das Neves confirmou, a partir da análise das imagens, que trata-se de uma jiboia. Ela afirma que a cobra não é venenosa, e que o desmatamento é a mais provável causa de migração deste tipo de animal para áreas urbanas.

“O habitat dela está sendo ameaçado por alguma interferência humana, seja ela por meio do desmatamento, da poluição, de alguma construção ou qualquer fator que altere as condições naturais do local. Por conta disto, ela acaba procurando outros lugares, migrando para outras áreas, como zonas urbanas”, explicou.

Por Murillo Velasco

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.