Porto de Galinhas bateu recorde de nascimento de tartarugas marinhas

Porto de Galinhas bateu recorde de nascimento de tartarugas marinhas

PE portodegalilnhas tartarugas wlouwSs0cn9W7ffFovUi

O ano de 2014 já é uma conquista para a conservação de tartarugas marinhas em Porto de Galinhas. A ONG Ecoassociados, principal responsável pela conservação do animal no destino pernambucano, contabilizou o nascimento de mais de 20 mil tartarugas das espécies tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata), tartatuga-verde (cheloniamydas) e tartaruga-comum (carettacaretta), soltas no mar em seis meses. O número corresponde aos filhotes nascidos de 210 ninhos marcados nos 12 quilômetros de litoral do município do Ipojuca.

“Nossa equipe dispõe de oito profissionais que atuam no acompanhamento dos filhotes desde a desova, entre os meses de setembro e abril, até a eclosão dos filhotes, que podem durar até o fim de julho”, comenta Arley Cândido, diretor da ONG Ecoassociados. 

Além da equipe, a entidade também conta com o apoio de 16 estagiários, estudantes do curso de biologia e veterinária de Universidades Federais, Estaduais e particulares da região. “Somos uma organização sem fins lucrativos, que trabalha em prol do benefício da natureza e busca parceiros para ampliação dos projetos e estudos da vida do animal em Porto de Galinhas, um berço natural para a reprodução das tartarugas marinhas”, complementa Cândido.

Atualmente, o Ecoassociados dá suporte a uma pesquisa sobre desenvolvimento embrionário, ecologia reprodutiva, fisiologia animal, análise estomacal e mapeamento genético com base em amostras retiradas das fêmeas adultas e filhotes. O objetivo dessa ação é destacar as características dos animais, aumentar o conhecimento das espécies ameaçadas de extinção e as melhores formas de promover a segurança para as fêmeas que visitam anualmente as praias da região e para filhotes que nascem todos os anos.

A ONG conta com contribuição de empreendimentos afiliados à Associação dos Hotéis de Porto de Galinhas (AHPG). Além das informações repassadas aos hóspedes sobre os riscos da interferência no processo de reprodução do animal, a hotelaria também atua em um planejamento contra a iluminação excessiva próximo aos ninhos, evitando afugentar ou confundir as tartarugas que vão rumo ao mar.  

“O nascimento das tartarugas em Porto de Galinhas já se tornou uma atividade indispensável no calendário de viagens dos turistas. Muitos deles viajam anualmente somente para acompanhar esse evento da natureza, que além de belíssimo, contribui com o equilíbrio do ecossistema marinho na região”, afirma Otaviano Maroja, presidente da AHPG.

Fonte: Brasilturis

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.