Portugal: Albufeira destina 30.000 euros a associações defensoras de animais

Portugal: Albufeira destina 30.000 euros a associações defensoras de animais
José Carlos Rolo, presidente da Câmara de Albufeira, assinou três protocolos de colaboração com associações que cuidam dos animais de rua

OMunicípio de Albufeira assinou três protocolos de colaboração com associações que cuidam dos animais de rua e promovem campanhas de saúde e de sensibilização. No valor total de 30 mil euros, estes protocolos visam assegurar a recolha, tratamento médico e posterior adoção de cães e gatos.

Um dos protocolos foi com a AGA – Associação dos Amigos dos Gatos do Algarve, no valor de 10 mil euros e com uma vigência de um ano, renovável, tal como tem vindo a acontecer. A AGA é uma associação de Albufeira sem fins lucrativos que se dedica à recolha, tratamento médico veterinário, desparasitação e esterilização de gatos ferais (vivem em colónias) e abandonados, que se encontram no concelho de Albufeira. A AGA também presta este apoio a gatos cujos donos não tenham possibilidades financeiras.

Acresce que esta associação alberga temporariamente gatos e promove e assegura a adoção dos que foram recolhidos, bem como, dinamiza ações de sensibilização para reconhecimento dos direitos dos animais na comunidade local. Outra das ações, prende-se com a limpeza e higienização dos espaços públicos de alimentação dos gatos abandonados.

A AGA tem, de resto, vindo a colaborar com os serviços médicos veterinários do Município e com os serviços do centro de recolha de Albufeira, apoiando na reabilitação e auxílio de alguns desses animais.

Outro protocolo assinado, foi com a PATA ATIVA – Associação de Defesa dos Animais e da Natureza de Albufeira, igualmente no valor de 10 mil euros, por um ano. A Pata Ativa é uma associação sem fins lucrativos que tem desenvolvido diversas ações de sensibilização na comunidade local para a necessidade de vacinação, desparasitação, esterilização e bons tratos aos animais. Tem recolhido os que se encontram errantes, em colaboração com o Centro de Bem Estar Animal, estrutura de Município, e promove a reabilitação dos mesmos, para além de realizar diversas ações direcionadas para a adoção. O presente protocolo prevê também que a Pata Ativa participe nas ações do Município relacionadas com a promoção dos direitos e bem-estar dos animais, assim como em ações ambientais e de saúde pública. Outra das cláusulas deste protocolo é a auscultação desta associação aquando de medidas tomadas pelo Município nesta matéria.

A PRAVI – Projeto de Apoio a Vítimas Indefesas é outra das associações que firmou protocolo com o Município, também no valor de 10 mil euros, para as atividades de um ano. Esta associação compromete-se a conceber e realizar, sob a sua responsabilidade, anualmente, um programa destinado à prossecução das suas atividades, as quais se prendem com a recolha e tratamento médico veterinário, vacinação, desparasitação, identificação e esterilização, promoção de adoção responsável de animais errantes, abandonados e de animais detidos por famílias de baixos rendimentos económicos residentes no concelho de Albufeira. Compete ainda a esta associação, atender a casos que venham a ser sinalizados pelo Município.

Para o presidente da autarquia, “com estes apoios para o exercício das atividades destas associações, bem como com a colaboração e abertura do Município, já podemos dar uma resposta cabal às necessidades dos animais”. José Carlos Rolo sublinha que “ainda há muito a fazer nesta matéria, nomeadamente quanto à sensibilização para os seus direitos” e que tratando-se de uma questão de “saúde pública, é também de cidadania”. José Carlos Rolo lança ainda um apelo: que a pandemia que se vive não seja motivo para “nos separamos daqueles que vivem para o nosso bem e que dizem do nosso equilíbrio no planeta”.

Fonte: Postal / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.