Portugal: Câmara de Famalicão avança com construção do Centro de Recolha Animal

Portugal: Câmara de Famalicão avança com construção do Centro de Recolha Animal

O Município de Vila Nova de Famalicão aprovou na passada quinta-feira, em reunião de câmara, a adjudicação da construção do novo Centro de Recolha Oficial de Animais (CROA) que vai substituir as atuais instalações do Canil Municipal.

A obra, que implica um investimento total de mais de meio milhão de euros, deverá arrancar ainda no primeiro semestre deste ano, caso estejam reunidas todas as condições face à atual situação de emergência nacional devido ao COVID-19.

A obra, adjudicada à empresa Fernando Silva & Cª, Lda., tem um prazo de execução de 450 dias.

Recorde-se que o Centro de Recolha de Animais de Vila Nova de Famalicão vai ser construído no lugar de Sertãos, em Calendário, junto às instalações atuais do Canil Municipal, numa área de cerca de 5500 metros quadrados.

Será um equipamento de qualidade que dotará o concelho de um espaço com condições para acolhimento e tratamento de animais errantes. Estará equipado com cerca de 80 boxes para cães, 45 para gatos e 4 para outras espécies.

Melhorar os objetivos sanitários, controlar doenças, melhorar o bem-estar animal e segurança da população, melhorar as condições de trabalho e a funcionalidade do espaço atualmente existente são preocupações que estão na base da construção deste novo equipamento.

O CROA estará equipado com todas as condições para o cumprimento dos seus objetivos e das exigências e obrigações legais inerentes a um equipamento desta natureza. Entre outras valências, o espaço estará dividido em instalações por espécie (canil, gatil e outras espécies), instalações individuais e de grupo, celas de quarentena e de ninhadas, enfermaria, armazéns, gabinete veterinário, zona de desinfeção e zona de recreio e atividade física para cães e gatos.

Fonte: Cidade Hoje / mantida a grafia lusitana original


Nota do Olhar Animal: Sim, os municípios têm que ter um centro para recolhimento dos animais onde sejam cuidados, esterilizados e encaminhados para adoção. O que estes locais não podem é se transformar em depósitos de animais. E para que isto não aconteça, é necessária uma forte política de esterilização e, educação e promoção de adoção.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.