Portugal lisboa destinoruka 1

Portugal: Ruka só será adotado após julgamento ou se tutor abdicar

A história do jovem que ameaçou atirar um cachorro pela janela chocou o país e colocou a opinião pública em alerta. O animal acabou por ser retirado ao jovem e ficou à guarda da Casa dos Animais da Câmara Municipal de Lisboa.

Cerca de duas semanas depois de o vídeo chocante ter sido divulgado, há um inquérito em curso e o animal não pode ser adotado até que haja uma decisão judicial, a não ser que Gonçalo Carter abdique da guarda do mesmo.

“Até agora não foi dirigido nenhum requerimento, pelo menos que nós tenhamos tido acesso, a dizer que [o jovem] prescinde do animal”, garantiu Inês Sousa Real, provedora da Casa dos Animais, ao Notícias ao Minuto, acrescentando que isso seria o “ideal” para que o Ruka conseguisse ser adotado por outra família.

A responsável frisa que Gonçalo Carter “não reúne condições para voltar a ter um animal”, tendo em conta a forma como tratou Ruka, e acredita que este caso deve servir como exemplo, principalmente por ser “gritante e evidente”.

A provedora da Casa dos Animais explicou ainda que se irá constituir como assistente do processo, com o intuito de levar o caso a julgamento pelos crimes de maus tratos e incitação à violência, independentemente da conclusão do Ministério Público em relação ao inquérito.

“O Ruka está bem, estável, saudável e não tem indícios de maus tratos. É extremamente meigo, dócil, simpático e brincalhão”, assegurou a provedora. “Face à idade do cachorro e ao facto de ser dócil ainda é mais censurável” a atitude do jovem.

Inês Sousa Real recordou que é necessário haver “denúncias atempadas”, já que há muitos casos em que animais acabam por não resistir devido a maus tratos por não terem assistência imediata.

Fonte: Notícias ao Minuto / mantida a grafia lusitana original

MAIS NOTICIAS

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.