Portugal: Câmara de Vila Verde e ONG fazem parceria para acabar com abate de cães e gatos

Portugal: Câmara de Vila Verde e ONG fazem parceria para acabar com abate de cães e gatos
Foto: Reprodução Internet

A Câmara Municipal de Vila Verde e a Associação para a Defesa dos Animais e Ambiente de Vila Verde (ADAAVV) acordaram na realização de uma parceria que vai colocar um ponto final ao abate de animais que dão entrada no canil/gatil municipal e que não são adotados.

O objetivo de conformar a atuação dos responsáveis pela gestão do equipamento de recolha de animais abandonados e/ou vadios à lei de proteção dos animais, que este Governo aprovou, passa pela criação de um albergue para animais, com uma capacidade de resposta bem maior que o equipamento atualmente existente, que «há muito está sobrelotado», disse ao Diário do Minho Susana Vidal.

A responsável da ADAAVV acrescentou que a associação já assumiu o compromisso de colocar no terreno um projeto de «esterilização de gatos e cães», tendo em vista «a redução dos animais de rua.

«Uma vez esterilizadas, as gatas e as cadelas deixam de poder procriar e a redução do número de animais vadios será conseguida por um processo natural», precisou Susana Vidal, dando conta que o projeto será desenvolvido no âmbito de uma parceria com a Câmara Municipal de Vila Verde.

É, de resto, nesse quadro que a autarquia vai avançar a curto prazo com a construção de um albergue para animais.

O futuro canil/gatil municipal «terá todas as condições para se cumprir a lei de proteção dos animais, que deixarão de ser abatados», continuou a dirigente da Associação de Defesa dos Animais e do Ambiente, dando conta que o projeto a desenvolver no concelho de Vila Verde «deverá registar a cooperação do canil municipal de Braga».

«Além dos animais de rua, também as pessoas que tenham animais em casa vão poder recorrer aos nossos serviços para os esterilizarem de forma absolutamente gratuita», salientou, dando conta que a medida visa não apenas «dignificar o tratamento que todos os animais merecem», mas também travar a proliferação descontrolada de cães e gatos.

Animais vão ter albergue condigno

É que a capacidade de resposta da associação vilaverdense «às inúmeras solicitações» começa a ser insuficiente.

«Há muitos anos que o canil/gatil [improvisado] está sobrelotado, apesar de todos os anos conseguirmos, em média, que as pessoas adotem 150 animais por ano», vincou, dando conta que, neste momento, o equipamento público tem à sua guarda quase centena e meia de cães e gatos de ambos os sexos.

As contas da Associação para a Defesa dos Animais e Ambiente de Vila Verde apontam para meados do próximo ano a entrada em funcionamento do futuro “Albergue de Animais” que vai ser construído na freguesia de Gême pela Câmara Municipal de Vila Verde.

Isso apesar de contrato de adjudicação da empreitada ter sido assinado no princípio deste mês e de prever um prazo de três meses para a conclusão da obra, que tem um custo estimado em cerca de 160 mil euros, com IVA incluído.

A construção foi entregue, por ajuste direto, à empresa “FactoPrestígio Unipessoal”, que se localiza na freguesia vilaverdense de Soutelo.

A gestão do futuro equipamento já está acordada com a ADAAVV, no âmbito de um protocolo com o município e que dá seguimento à colaboração que se encontra em vigor.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.