Potro cai em buraco de 5 metros no asfalto, e é resgatado por bombeiros

Potro cai em buraco de 5 metros no asfalto, e é resgatado por bombeiros
Cavalo cai em buraco de 5 metros de altura na rua (Foto: Fabrício Bispo Santos / Arquivo pessoal)

Um filhote de cavalo caiu em um buraco de aproximadamente cinco metros de altura no asfalto de uma rua do bairro Jardim Lisa II, em Campinas (SP), na manhã deste domingo (26). Os bombeiros precisaram ser acionados e o trabalho de resgate do animal levou uma hora. O potro teve apenas ferimentos leves.

De acordo com o tutor do animal e de outros moradores do bairro, a cratera estava aberta desde o dia 17 de fevereiro, quando um caminhão de lixo passou e teria causado a ruptura do asfalto. Neste domingo, quando passava pelo local, o filhote, que passava pelo local com outro cavalo adulto e o dono deles, acabou caindo dentro do buraco.

O sargento Robson Jesus, do Corpo de Bombeiros, participou do resgate. Ele conta que o trabalho – desde a separação dos equipamentos até a retirada do animal – levou cerca de 1h. Segundo Jesus, ele entrou até o fundo da cratera e amarrou uma corda no corpo do cavalo, com o cuidado para imobilizá-lo, garantindo a segurança do animal e dos bombeiros.

“Utilizando essa corda, outros dois bombeiros ajudaram a puxar do lado de fora. O cavalo saiu com segurança, apenas com um pequeno arranhão”, conta.

Após fazer o resgate, os bombeiros acionaram a Defesa Civil, já que o buraco representa um risco para quem passa ali pelo local.

A Prefeitura informou por meio da assessoria de imprensa que a Administração Regional responsável pelo bairro já havia colocado uma sinalização no buraco, mas que ela foi reforçada neste domingo após o incidente. Uma contenção de terra foi colocada no local junto com faixas e cavaletes. A Prefeitura informou que agora vai providenciar o conserto do asfalto o mais rápido possível.

Potro cai em buraco de 5 metros no asfalto, e é resgatado por bombeiros
Filhote de cavalo imobilizado após o resgate (Foto: Gabriela da Silva Santos / Arquivo pessoal)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.