PR: Ponta Grossa construirá hospital veterinário

PR: Ponta Grossa construirá hospital veterinário

O Cetas Ponta Grossa conta com uma área de aproximadamente 14 mil metros, no Distrito Industrial. O investimento é R$ 1,2 milhão e conclusão prevista para 24 meses – até 2016 obras devem estar prontas.

PR PontaGrossa hospital

Foi lançado na manhã de ontem (24) a pedra fundamental da Associação Instituto Klimionte Ambiental para o Centro de Triagem de Animais, em Ponta Grossa, na região do Distrito Industrial. A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa doou a área para a construção de um hospital veterinário público para animais silvestres e nativos. O trabalho de resgate, tratamento e de estudos dos animais neste local irá contribuir para a preservação e atenção animal.

Quando um animal silvestre é atropelado na rodovia ou encontrado em situações de maus tratos, só tem chances de sobreviver se receber o atendimento adequado. Para garantir isso, o veterinário e presidente do Instituto Klimionte, Robson Klimionte, trabalhou por mais de oito anos na instalação de um Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) em Ponta Grossa.

O Cetas deve receber animais apreendidos em situação irregular pela Polícia Ambiental, como o tráfico de aves ou a domesticação ilegal de espécies silvestres. Na maioria dos casos, os animais chegam com ferimentos, desnutridos, com fraturas e mutilados. No Cetas estas vítimas serão identificadas, tratadas e reabilitadas para serem libertos em ambiente natural ou enviado a criadouros, quando isso não for mais possível.

O Cetas Ponta Grossa conta com uma área para sua construção, doado pela Prefeitura na área do Distrito Industrial, com aproximadamente 14 mil metros. A expectativa de investimento é R$ 1,2 milhão e conclusão prevista para 24 meses. A doação do terreno já foi aprovada pela Câmara de Vereadores e a construção também já tem aprovação do Conselho Municipal do Meio Ambiente (Condema) e do Instituto Ambiental do Paraná (IAP). O Instituto Klimionte garantiu parceria com a Prefeitura, IAP, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Policia Ambiental e ainda empresas do setor privado para a execução do projeto.

O idealizador do projeto explica que a demanda é grande. “A proposta do Cetas na cidade é justamente dividir a demanda de todo o estado com o centro de Tijucas do Sul”, explica Klimionte. Para o chefe do escritório regional da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Ronaldo Lucas Becher, a instalação de um Cetas em Ponta Grossa é fundamental para garantir melhores condições para os animais que compõe nossa fauna. “Especialmente na região de Ponta Grossa, que se trata de um entroncamento ferroviário e o tráfico de animais é um problema frequente, além do comércio desses animais por desconhecimento. Um centro como esse vai garantir que as espécies tenham mais chances de retornarem a seu habit natural”, destacou Becher. espaço físico.

Atropelamentos de animais são comuns no Parque de Vila Velha

O Parque Estadual de Vila Velha é um dos espaços que abrigam animais silvestres na região, mas a proximidade com a rodovia, BR 376, acaba resultando em uma série de atropelamentos. De acordo com o gerente de turismo do Parque, Gabriel Coutinho, os atropelamentos são comuns e vitimam animais de pequeno e grande porte. “Nossa fauna conta com animais como lobo -guará, sussuarana, o cateto e uma variedade grande de répteis. Algumas espécies, que são encontradas apenas no Parque, já foram caracterizadas como espécies vila-velhenses”, explica Coutinho.

Fonte: Jornal da Manhã

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.