PR: Ponta Grossa ganhará Centro de Atenção para animais de rua

PR: Ponta Grossa ganhará Centro de Atenção para animais de rua

Canil Municipal e Centro de Atenção Municipal ficará pronto em dois meses; Espaço dará suporte a bichos abandonados e prontos para adoção.

Por Rodrigo de Souza

PR PontaGrossa abrigar animais

Ponta Grossa deve ganhar, dentro dos próximos meses, um centro de recuperação e tratamento de animais de rua. A Prefeitura confirmou, através da assessoria de imprensa, que as obras do Canil Municipal e do Centro de Atenção Animal deve ser concluídas em aproximadamente 60 dias.

O espaço deve servir como uma espécie de ‘abrigo’ para animais de rua. O departamento de Zoonoses, pertencente à Secretaria Municipal de Saúde, passará a recolher os cães, gatos e até mesmo animais de grande porte (como cavalos) junto ao centro. Lá, será castrado e receberá todos os cuidados necessários de higiene, saúde e alimentação. Após os tratamentos, animais de pequeno porte passam a ficar disponíveis para adoção por sete dias.

Caso não encontre um novo lar, a prefeitura ‘devolverá’ o animal para a área onde foi encontrado – procedimento feito de acordo com a lei nº 9019/07, que prevê o controle ‘habitacional’ do Centro de Atenção e também recoloca o animal em área onde já tinha uma forma de sobrevivência. Todos receberão microchips e serão monitorados quase que diariamente por profissionais, para que não voltem a sofrer nas ruas.

Animais domésticos desaparecidos também serão levados para o local. De acordo com a prefeitura, ele ficará a espera do dono durante três dias. Caso ele não apareça, será disponibilizado para adoção, assim como outros cães e gatos, passando pelo mesmo processo.

A obra, avaliada em cerca de R$ 407 mil, ficará sob responsabilidade total do Departamento de Zoonoses. A Prefeitura repassou o local para a reportagem do Portal ARede, mas pediu que o endereço não fosse divulgado, a princípio, para que moradores não passem a abandonar animais pela região sem que a obra esteja completamente construída.

Fonte: A Rede

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.