Projeto para atendimento veterinário gratuito na Capital caminha para sair do papel - Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Prédio abandonado em Campo Grande (MS) poderá funcionar Upa Veterinária

O antigo prédio do Centro de Capacitação de Recursos Humanos (Cecap) de Campo Grande está sendo pleiteado pelo vereador Francisco Veterinário (PSB) como futura sede da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Veterinária. Ele encaminhou o requerimento com este pedido hoje para a Prefeitura com  base na visita que fez ao local na última semana e pela morosidade para o cumprimento da promessa do Executivo com a causa animal.

A obra é uma promessa de campanha do prefeito Marcos Trad (PSD) e já chegou a ser anunciada algumas vezes em agendas nesta gestão. “O prefeito já empurrou com a barriga para o ano que vem, sem qualquer justificativa. Antes era para maio deste ano. Depois para a agenda de aniversário da cidade e agora só em 2019”, ressaltou o parlamentar.

A fiscalização no prédio que está completamente abandonado há  cerca de um ano e meio fez com que cogitasse a possibilidade de atender a necessidade do pronto-atendimento dos pets. “Todo mundo fala em bem-estar animal, mas não vejo um colocar a mão em um animal. De gogó a causa não vive. Vivemos de obras. Primeiro precisamos ter boa vontade para que o projeto saia do papel”, alfinetou.

A proposta vai em contramão do projeto inicial que construiria a UPA-VET anexa ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). “O local está completamente abandonado e serviria. Já que era para ser no CCZ, mas muitas pessoas não querem que seja lá por vaidade”.

A Prefeitura, por meio da Sisep, vai licitar a contratação  de uma empresa especializada para execução da reforma da Egov. A reforma tem valor estimado de R$ 1,4 milhão para parte estrutural, revestimento, instalação elétrica, sanitário e pintura, com duração de 270 dias. O processo não ocorreu antes por falta de recurso orçamentário. A Egov é destinada a capacitação dos servidores municipais de Campo Grande.

Por Gabriela Couto

Fonte: Correio do Estado

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.