Foto: Assessoria de Comunicação

Prefeitura atende ocorrência de maus-tratos embasada em nova lei municipal em Votuporanga, SP

Costelas aparentes, pata machucada, olhar triste e total apatia. Foi dessa forma que a equipe do Centro de Proteção da Vida Animal, órgão vinculado ao Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura de Votuporanga, encontrou uma cachorra da raça Pitbull, amarrada e deitada em um pequeno espaço no fundo de uma casa, amamentando seus dois filhotes. Ao se deparar com a situação, o CPVA acionou, imediatamente, a Polícia Militar Ambiental para o atendimento conjunto da ocorrência.

Um laudo assinado por médico veterinário comprovou que a cachorra sofreu negligência e falta de cuidados necessários, já que a ferida que tinha na pata “aparentava ser antiga e continha muita secreção, sem sinais de tratamento ou cuidados higiênicos”. Diante da situação comprovada, o proprietário do animal foi multado e a cachorra, juntamente com seus filhotes, foi devidamente encaminhada ao Centro de Controle de Zoonoses, da Secretaria Municipal da Saúde, para receber o tratamento adequado da ferida, que já estava, inclusive, com tendões expostos e suscetível a infecções.

A ação faz parte do programa de proteção à vida animal implantado no Governo do Prefeito João Dado e segue a Lei Municipal criada pela Prefeitura, e aprovada pela Câmara de Vereadores em 2017, que tem se tornado modelo para muitos municípios do Brasil.

Denúncias referente à maus tratos, abandono ou situações do tipo podem ser feitas ao Centro de Proteção da Vida Animal, que atende pelo telefone 3405-9700, ramal 9828, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h30. No entanto, a população também pode denunciar esses atos à Polícia Ambiental, pelo 3421-9008, ou à Polícia Militar, pelo 190.

“Estamos implementando serviços de amparo, atendimento e cuidado aos animais de Votuporanga desde o início da nossa gestão. Alguns desses projetos já estão sendo colocados em prática, como a ampliação do programa de castração municipal e a implantação do Centro de Proteção da Vida Animal. A meta é concluirmos todas essas ações até o final do nosso governo para deixarmos um legado importante nesta área”, finalizou a presidente do Fundo Social, Mônica Pesciotto de Carvalho.

Castração de gatos de rua

Outra ação que vem sendo desenvolvida pela atual Administração é a castração de animais, visando o controle populacional de cães e gatos. Mais de 1,8 mil cães e gatos já foram castrados desde o início de 2017, entre eles, cerca de 300 gatos ferais, que são os gatos que vivem nas ruas e que dificilmente serão domesticados.

Este trabalho de captura e castração dos gatos ferais foi desenvolvido voluntariamente por algumas clínicas veterinárias da cidade com ajuda de pessoas engajadas na causa animal. A iniciativa foi digna de homenagem do Prefeito João Dado e da presidente do Fundo Social de Solidariedade, Mônica Pesciotto de Carvalho, que entregaram um certificado de agradecimento pela atuação de todos os envolvidos, entre eles, a Galera dos Bichos, Clínica Vida Animal e Clínica Animal Center.

“A castração desses gatos que vivem nas ruas é de extrema importância para o controle populacional, para evitar as crias indesejadas. No entanto, este é um trabalho muito difícil de ser executado já que esses animais são mais selvagens, colocando até em risco a segurança das pessoas que irão capturar. Desta forma, a ação foi realizada em parceria com voluntários, onde o Fundo Social cedeu as gatoeiras”, explicou a Chefe da Divisão da Proteção da Vida Animal, Neide Romani Covre, que disse ainda que outros 1.925 animais também serão castrados até junho do ano que vem.

Fonte: Folhar

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.