Prefeitura de Bonito (MS) é acusada de causar ‘extermínio’ de animais, mas CCZ nega medida

Prefeitura de Bonito (MS) é acusada de causar ‘extermínio’ de animais, mas CCZ nega medida
Cachorro - (Foto: Rovena Rosa)

Moradores de Bonito, a 300 km de Campo Grande, entraram em pânico na semana passada, após uma onda de fake news se espalhar pelo município turístico. A Prefeitura Municipal foi acusada de “extermínio em massa” de animais com leishmaniose, após recolher animais em situação de rua e realizarem testagem de exames para a doença.

Por meio de nota, a Prefeitura desmentiu e esclareceu a medida tomada pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

“O recolhimento de animais em situação de rua não envolve sacrifício ou morte dos animais, mas sim o controle sanitário do município. Os animais recolhidos passam por testes de leishmaniose e exames para verificar doenças graves, infectocontagiosas e incuráveis que possam representar riscos para outros animais e seres humanos”, diz a nota.

Veículo do CCZ de Bonito
Veículo do CCZ de Bonito

Segundo o CCZ de Bonito, nenhum animal de rua foi submetido à eutanásia, mesmo após a implementação da medida. Em dois meses desde a publicação da medida, um animal em situação de rua foi recolhido, e seu responsável buscou o pet.

“A Prefeitura enfatizou que a Lei Nº 14.228, de 20 de outubro de 2021, prevê a possibilidade de eutanásia em casos de doenças graves ou incuráveis que coloquem em risco a saúde humana e animal. Entretanto, a medida não ocorreu em Bonito”, informa.

Por Carlo Ferreira

Fonte: A Crítica

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.