MT Cuiaba prefeitura liminar tratar animais H

Prefeitura de Cuiabá (MT) recorre de liminar que manda recolher e tratar animais

Juiz do Meio Ambiente também mandou parar eutanásias desnecessárias. Prefeitura de Cuiabá diz que precisa de mais tempo para cumprir decisão.

MT Cuiaba prefeitura liminar tratar animais

A prefeitura de Cuiabá recorreu da decisão judicial liminar, de novembro de 2015, que determinou que o município recolha e trate animais abandonados, assim como pare de praticar, de forma desnecessária, a eutanásia de bichos diagnosticados com leishmaniose. A Procuradoria do Município entendeu que não se pode obrigar dessa maneira o Poder Executivo a executar política pública que exige planejamento, inclusive financeiro.

A decisão da Vara Especializada do Meio Ambiente contra a prefeitura de Cuiabá deu prazo de 30 dias, a partir da notificação, para que fossem tomadas providências em relação aos animais de rua. O município foi notificado em dezembro e recorreu da liminar na última semana, pedindo a suspensão da decisão.

Para a Procuradoria do Município, é preciso que politicas públicas como a determinada pela Justiça sejam planejadas antes de serem colocadas em prática, sendo incluídas no orçamento da prefeitura, e que o prazo de 30 dias é muito curto para isso.

O desembargador José Zuquim Nogueira, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, suspendeu, recentemente, decisão semelhante que havia sido determinada em Rondonópolis, informou a Procuradoria.

Liminar

O juiz Rodrigo Roberto Curvo, da Vara Especializada do Meio Ambiente de Cuiabá, determinou que a prefeitura da capital pare de sacrificar no Centro de Zoonoses, de forma desnecessária, animais diagnosticados com leishmaniose. E mandou que o município recolha animais em situação de vulnerabilidade. O Ministério Público acusa o município de não ter políticas públicas voltadas para esses tipos de situações.

Conforme a decisão, o Conselho Federal de Medicina Veterinária estabelece que o sacrifício só é permitido quando houver ameaça à saúde pública, risco ao meio ambiente e como forma de aliviar o sofrimento dos animais. O magistrado argumentou também que a Constituição Federal dispõe sobre a proteção dos animais contra maus-tratos e abandono, e que é obrigação do poder público zelar pelos bichos.

Fonte: G1 

Nta do Olhar Animal: É incrível como a prefeitura de Cuiabá se esforça para não cumprir suas obrigações morais e legais. A matança de animais é criminosa. E acreditamos que se o MP for a fundo, encontrará elementos para pedir à Justiça inclusive o afastamento do prefeito por improbidade por conta do extermínio que, entre outros problemas, é danoso ao cofres públicos, posto que é ineficaz para o controle da leishmaniose. 

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.