Prefeitura de Goiânia (GO) ‘abandona’ animais

Sem lugar para cuidados antes da adoção, animais saudáveis abandonados não recebem atenção.

Por Karla Araujo

Até maio deste ano, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria Municipal de Goiânia (SMS) capturou 44 cães e 18 gatos abandonados que representavam risco à saúde humana devido à agressividade. Foram capturados também 772 cães e 35 gatos doentes. Além disso, 48 cães e cinco gatos foram encaminhados para adoção. Porém, quando se trata de animais domésticos deixados nas ruas que não representam nenhum perigo, a Prefeitura de Goiânia ainda não tem nenhum serviço efetivo, pois não há um local adequado para dar atenção necessária a estes bichos.

Há quase um ano, a atribuição do cuidado com estes animais passou do CCZ para a Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma). O médico veterinário da gerência de fauna da Amma, Ygor Carvalho, afirma que a secretaria captura animais em caso de denúncia de maus-tratos, com o auxílio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), CCZ e Organizações Não Governamentais (ONGs) comprometidas com o cuidado com animais.

“Quando uma denuncia chega a nós, acionamos alguma ONG da capital para sabermos se existe alguém que possa cuidar do animal”, explica Carvalho. Em relação aos bichos que estão nas ruas, mas não estão doentes ou são agressivos, o veterinário afirma que a Amma também aciona ONGs e terá que continuar a fazê-lo até que a pasta tenha capacidade para atender toda a demanda. Este tipo de pedido pode ser feito pela população pelos telefones 153, 3524-1408 e 3524-1440.

Serviço

O presidente da Comissão de Saúde Pública do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) e médico veterinário no CCZ, Luiz Elias Bouhid de Camargo, explica que a SMS deixou de recolher animais com a “carrocinha” porque o dinheiro do Sistema Único de Saúde (SUS) não pode ser usado para o cuidado com animais, por isso, a pasta atua somente em casos que o animal represente risco à saúde de pessoas. “Fazíamos a castração de determinados animais, controle de doenças e de população, mas não podemos mais”, diz Camargo.

Quanto às ações do conselho, o presidente diz que a instituição participa da elaboração de programas e projetos, mas o abandono destes animais pela população e poder público é um problema em todo o País. “As pessoas adotam animais, levam para casa e depois que eles crescem e começam a dar trabalho, os abandonam”, lamenta Camargo.

Ação

A presidente da Associação de Proteção aos Animais Miau AuAu, Camila Amorim, afirma que foi acionada diversas vezes para auxiliar a Prefeitura de Goiânia com local para acolher cachorros e gatos abandonados. Camila afirma que o problema do abandono de animais doméstico é social. “Ao mesmo tempo em que o órgão responsável nada faz para solucionar o problema, a população também não colabora ao deixar de fazer a castração de seus animais”, afirma a presidente.

A ONG é formada por voluntários que resgatam, tratam e reabilitam animais. Depois, os bichos são encaminhados para o apadrinhamento ou adoção. Para os gatos, a ONG mantém um local onde ficam 60 animais do tipo. Os cachorros ficam em lares temporários. Por mês, a Miau AuAu resgata pelo menos 80 anos e 40 deles são adotados. Segundo Camila, a quantidade de adoções cresce com o passar dos anos, mas pode ser ainda melhor. “Buscamos sempre informar a população sobre projetos como o nosso e tirar a cultura do comércio de animais domésticos”, diz a presidente.

Fonte: O Hoje

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.