Prefeitura de Porto Alegre (RS) abre consulta pública sobre ampliação de proteção animal

Prefeitura de Porto Alegre (RS) abre consulta pública sobre ampliação de proteção animal

A prefeitura de Porto Alegre abriu nesta quarta-feira uma consulta pública para proposta de ampliação dos serviços de proteção animal na cidade. A população terá 30 dias para encaminhar sugestões sobre o projeto de gerenciamento e operacionalização da Unidade de Saúde Animal Victória (Usav), na Lomba do Pinheiro, do abrigo temporário para cães e gatos e da Unidade Móvel de Adoção de Animais. A ideia é ampliar o número de atendimentos e os serviços oferecidos uma vez que a Usav opera apenas com 35% de sua capacidade.

Construído ao custo de R$ 7 milhões doados por um empresário, o hospital se localiza na Estrada Berico José Bernardes, número 3.489, na divisa da Capital com Viamão. Com sete veterinários e 21 manejadores, a instituição funciona de segunda a sexta-feira das 8h30 ao meio-dia e das 13h30 às 17h. A unidade passará a realizar serviços que hoje não são feitos, como cirurgias ortopédicas (240 por ano), exames diagnóstico (4.116 por ano), exames de imagem (2.760 por ano), sorologia FIV e Felv (240 por ano) e quimioterapia (240 por ano).

Ainda, aumentará a capacidade de atendimentos já realizados, como cirurgias gerais, que terá um incremento de 418%, castrações aumentam 74% e o número anual de atendimentos clínicos cresce em 11,9%. O número de vagas no albergue temporário aumentará 32%. O anúncio da abertura da consulta pública se dá no mesmo dia em que a Justiça suspendeu a remoção ou transferência das casinhas dos cães localizados no bairro Jardim do Salso.

Para atender à demanda de moradores do entorno da Usav e de cuidadores que não se enquadram nas atuais regras de atendimento gratuito, o projeto também prevê serviços pagos a custos mais acessíveis. O contratado, porém, deverá priorizar o atendimento de animais de rua provenientes de ações realizadas pela Diretoria Geral de Direitos Animais (DGDA), de protetores cadastrados e de tutores residentes em Porto Alegre, que sejam assistidos por programa de reposição de renda.

Também passam a ser atendidos de forma gratuita moradores da cidade com renda familiar de até três salários mínimos, atestada pelo Centro de Relação Institucional Participativa (Crip). A utilização da Unidade Móvel para promover feiras de adoção para além das dependências da Usav integra o escopo do projeto.

“Estamos estudando há seis meses um edital para contratualizar o serviço da USAV. Tem uma ou duas cidades que estão seguindo esta linha. É um formato novo, inédito no Brasil, por isso a consulta pública. Segue o formato da saúde e educação, ou seja, oferecer um serviço público por meio de entidades privadas que tragam eficiência na entrega à população”, explica o prefeito. “Isso é a contratualizar o serviço. É assim que vamos utilizar a estrutura, hoje em parte ociosa, para ampliar o atendimento de castrações, chipagem, albergagem, e ainda disponibilizar o que hoje não existe lá, como exames, cirurgias ortopédicas e quimioterapia.”, completa.

A secretária adjunta Viviane Diogo afirma que o foco da continuará sendo as castrações e a adoção responsável. “Queremos que todos os cães e gatos sejam adotados. Por isso, o número previsto de albergados a ser contratado não passará de 100.” Diogo explica ainda que o número de castrações pode superar 8 mil ao ano. “No projeto, está previsto que todos os animais que passarem por cirurgia e não forem castrados receberão o procedimento, aproveitando a anestesia e os cuidados dispendidos. Este número ainda é pequeno dentro do montante, mas faz parte de um grande esforço de ampliação da política pública de atenção animal”.

Os documentos e o formulário de contribuições estão disponíveis no link Consulta Pública, no site da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Porto Alegre, e podem ser acessados pelo link. O formulário deverá ser enviado para o e-mail [email protected] até o dia 10 de agosto de 2019.

Fonte: Correio do Povo


Nota do Olhar Animal: Que tal a prefeitura de Porto Alegre, comandada por Nelson Marquezan Júnior (PSDB), abrir uma consulta pública sobre sua atitude de querer DESALOJAR CÃES ABANDONADOS das casinhas oferecidas por protetores de animais neste inverno? É bom lembrar que foi necessária uma ação judicial movida pelo Movimento Gaúcho de Defesa Animal para impedir a prefeitura de efetivar a retirada. Que atitude vergonhosa, senhor prefeito. Um vexame!

Justiça suspende remoção de casinhas de cachorro determinada pela Prefeitura de Porto Alegre, RS

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.