Prefeitura de Ribeirão Preto (SP) é acusada de suspender pagamento para clínica veterinária

Prefeitura de Ribeirão Preto (SP) é acusada de suspender pagamento para clínica veterinária
Foto: Divulgação

A Prefeitura de Ribeirão Preto foi acusada de suspender o pagamento de uma clínica veterinária que presta serviços para o município. Por falta de pagamento, o município está sem o serviço de recolhimento de animais de grande porte de vias públicas.

A denúncia partiu do vereador Marcos Papa (Rede), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Eutanásia Animal da Câmara dos Vereadores. O parlamentar utilizou a tribuna na sessão de terça-feira, 4, para criticar o Executivo.

“Temos essa informação extraoficial, porém do proprietário da Clínica que vinha prestando serviço à prefeitura. A Clínica Veterinária Ricardo deixou de prestar serviço à prefeitura por falta de pagamento. Segundo ele, não recebe há três meses. Isso gera uma situação como a da ‘potrinha’ que agonizou até a morte hoje porque não havia uma empresa contratada com um médico veterinário para proceder a eutanásia, como determina a lei”, denunciou.

Durante as oitivas da CPI, funcionários da Clínica admitiram que animais recebiam a eutanásia de maneira indiscriminada. Em um dos casos, por falta de profissionais, um motorista realizou o procedimento em um cavalo.

O Portal Revide buscou um pronunciamento da Prefeitura de Ribeirão Preto em relação à denúncia. Por meio de nota, o Executivo não comentou a respeito do atraso. “A Coordenadoria do Bem Estar Animal (CBEA) informa que o animal citado no texto estava em área particular. A CBEA não tem autoridade para fazer a remoção de animais em locais particulares.”, alega a nota, na íntegra.

Atrasos

Esta não é a primeira vez em que a prefeitura foi acusada de atrasar o pagamento de fornecedores em 2018. Em outubro, a Revista Revide trouxe, com exclusividade, uma reportagem que revelava o atraso no pagamento a fornecedores da Prefeitura de Ribeirão Preto desde o mês de agosto. A situação comprometia empresas do ramo da infraestrutura e da saúde.

A administração municipal utilizou o recurso da alteração na cronologia de pagamentos para sanar as dívidas com os fornecedores citados na reportagem.

Por Paulo Apolinário (sob supervisão de Marina Aranha)

Fonte: Revide 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.