Prefeitura formaliza primeiros dois cães comunitários de São Carlos, SP

Prefeitura formaliza primeiros dois cães comunitários de São Carlos, SP
Prefeitura formalizou primeiros dois cães comunitários de São Carlos (SP). Foto: Divulgação

A Prefeitura de São Carlos, por meio do Departamento de Defesa e Controle Animal da Secretaria de Serviços Públicos, realizou na manhã desta terça-feira (12), no Canil Municipal, a entrega dos primeiros documentos do Programa Cão Comunitário.   

Cães comunitários são aqueles que, embora não possuam um tutor definido, têm laços de afeto com a vizinhança e são cuidados por todos, com apoio da Prefeitura. Os dois primeiros pets a receber os cuidados, são dois vira-latas que moram em uma praça do Jardim São Rafael, batizados por seus cuidadores de Faísca e Fumaça.  

Implantado a partir deste ano no município, o programa consiste na relação entre o cão comunitário, o cuidador e município, em que cada um tem funções específicas para que o programa funcione. Um cachorro candidato a ser comunitário não deve ser agressivo, deve estar estabelecido na região e ter vínculo afetivo com seus cuidadores, que os mantém alimentados.  

A triagem é realizada quando um cão candidato a ser comunitário é reconhecido pelos cuidadores e pelo Departamento de Defesa e Controle Animal. Sendo assim, os cuidadores, assinam um termo de compromisso que os responsabilizam pela alimentação diária do animal; por fornecer água limpa; por manter abrigo, por avisar a Prefeitura quando o cão necessita de cuidados clínicos; por administrar medicações que o ambulatório veterinário municipal dispuser se necessário para os cuidados com o cachorro.  

Já o Departamento de Defesa e Controle Animal, oferece os cuidados como a microchipagem de identificação do animal, vacinação e a castração, que além firmar a posse responsável dos cuidadores e impedir a transmissão de doenças, também impede que nasçam mais filhotes interrompendo o ciclo de nascimento de cães nas ruas, trazendo benefícios tanto para os animais quanto para a sociedade. 

“Do ponto de vista em saúde, o programa é uma questão de bem-estar para esses animais que continuarão a ser atendidos pelo departamento e por seus cuidadores, abrindo a oportunidade que a Prefeitura possa dar atenção para outros animais, que realmente estão em estado de abandono”, enfatizou o diretor de Defesa e Controle Animal, Fernando Magnani.

Fonte: A Cidade ON

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.