Prefeitura inicia remoção de animais de lago contaminado em Tietê, SP

Prefeitura inicia remoção de animais de lago contaminado em Tietê, SP

Lago foi contaminado por esgoto após rompimento de tubulação em 2013. Patos e gansos serão transferidos para um parque ecológico da cidade.

SP tiete remocao lago087805

Foi iniciada nesta quarta-feira (11), a remoção de animais que vivem no lago do Parque da Serra, em Tietê (SP). A ação é realizada devido à contaminação da água por esgoto no início de 2013 . As aves que vivem no local, gansos e patos, serão capturados e levados para um parque ecológico da cidade.

No primeiro dia da ação, funcionários da prefeitura, voluntários e biólogos e ambientalistas participaram da ação. O dia estava favorável à captura dos bichos porque a água da última chuva já havia baixado, o que tornou mais fácil o trabalho grupo. Atraído por pedaços de pão, o primeiro ganso caiu rapidamente na rede, mas os outros, assustados, fugiram para o outro lado do parque. Foi preciso esperar anoitecer para continuar a missão.

A ideia era capturá-los enquanto dormiam, mas os animais deram trabalho para a equipe. Foi preciso paciência, mas um a um, seis gansos foram resgatados na ação.

O lago foi esvaziado há quase dois meses. Uma comporta foi aberta para dar vazão à água, que foi contaminada depois que uma tubulação de esgoto se rompeu. A ideia era fazer com que o mau cheiro no local diminuísse, mas o que era para resolver, causou ainda mais transtornos. O odor continuou igual, e os animais que viviam por ali ficaram sem ter onde nadar.

A coordenadora do Meio Ambiente de Tietê, Coralie Pasquali, afirma que a remoção é necessária porque o lago já não apresentava condições de sobrevivência saudável aos animais. “O lago não é mais um local adequado porque a tubulação do esgoto se rompeu. Então, a área está com o impacto ambiental negativo. Para a vida silvestre não estava adequado”, comenta.

Pasquali informou também que por ordem do Ministério Público, além de abrir o lago para a água ser escoada vai consertar toda a tubulação de esgoto desde o limite com o município de Cerquilho (SP).

Além de ser necessária para o bem das espécies, a retirada dos bichos do local é um pedido da população, que está indignada com a situação do lago. A secretária Rosa do Carmo Consorte diz que a situação está problemática devido ao mau cheiro. “O mau cheiro incomoda. Não sei como os bichos ainda estavam vivendo aí”, diz. “A situação está péssima devido ao mau cheiro. A gente já vinha lutando há um bom tempo para a solução dessa situação”, afirma outra moradora, a dona de casa Eli Morais Alfonsi.

Depois de capturados, os bichos foram colocados em um carro e levados para o parque ecológico da cidade. Quando perceberam que estavam em liberdade, correram para a água para conhecer o novo lar. O biólogo Antônio Miranda está otimista com a adaptação dos bichos. “A adaptação é tranquila por se tratar de animais domesticados. Além disso, o parque aqui tem gente que toma conta, então, para os patos e gansos, vai ser bem melhor aqui do que onde estavam”, diz.

A previsão é que dentro de um mês, todos os patos e gansos já estejam no parque ecológico, mas a transferência dos animais vai depender também do clima. Se voltar a chover, o volume do Lago da Serra sobe, o que pode dificultar a capturar os bichos.

A estudante de biologia Daniela Santarém participou da ação como voluntária. Ela diz que está aliviada por saber que os bichos estarão novamente em um ambiente adequado. “O parque vai ser muito bom. O local onde eles estavam não era propício. Aqui [parque] eles vão ter quatro tanques que eles poderão usufruir e totalmente limpos. Um local perfeito para eles habitarem agora”, ressalta.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.